Nélida Piñon: TV Brasil praticou "violência cultural" ao demitir Leda Nagle

Nélida Piñon, 79 anos, escritora e imortal da Academia Brasileira de Letras, disse que a TV Brasil, no mandato Michel Temer, praticou "violência cultural" ao decidir acabar com o programa "Sem Censura" e por demitir a apresentadora Leda Nagle.

"Nada, pois, justifica que o mais respeitado programa de entrevista da televisão brasileira seja cancelado como se este silêncio que talvez nos seja imposto não tivesse consequências, não significasse uma violência cultural", disse a imortal.

Nélida caracteriza a decisão como um "golpe cidadão".

E foi além: "Não julgo possível que um canal público, financiado pelo Estado brasileiro, esteja moralmente autorizado a liquidar com um programa de transcendente importância cultura, onde se abrigam inquietações, informações preciosas, debates artísticos, literários, exposição de ideias, da cidadania brasileira".

Também leia:Demitida da EBC, Leda Nagle ficou "perplexa com falta de caráter" de Rímoli