Exclusivo: papo com Matheus & Kauan, a dupla sertaneja que conquistou todas as gerações

Os cantores lotaram o espaço do projeto "Na Praia", em Brasília, e gravaram o DVD "Na Praia 2"

* Direto de Brasília com Ana Luiza Vasconcelos e Ana Carolina Vasconcelos

A dupla sertaneja Matheus & Kauan lotou o complexo batizado Na Praia, à beira do lago Paranoá, em Brasília. “A gente escolheu Brasília porque sempre abraçou nossos projetos, desde os primeiros shows”, disse Kauan em entrevista exclusiva para HT. A festa, intitulada Praia do Rosa - uma homenagem à música "A rosa e o beija-flor" -, contou também com os cantores Thiago Nascimento e Jefferson Morais e participação de João Bosco (da dupla João Bosco e Vinícius). Os irmãos Matheus e Kauan fizeram uma dobradinha com o Melanina Carioca, do Vidigal, no Rio, na música “Vai que cola” e estão arrasando em terras cariocas e por todo o país.

Batendo recorde de público e comemorando um ano de sucesso do DVD Matheus & Kauan Ao Vivo Na Praia (gravado no complexo em 2015), eles apresentaram ao público diversos sucessos, como "Nosso santo bateu" e "Que sorte a nossa". Os irmãos começaram a carreira há seis anos fazendo composições para outros artistas e hoje gravam suas próprias músicas que estão no top ten das paradas de sucesso. Compositor da música "O nosso santo bateu", Matheus contou que foi composta cinco dias antes da gravação. "Transformamos em algo que tinha tudo a ver com praia e deu certo", nos contou. Falando sobre os melhores momentos da carreira, Kauan brincou que "Mundo Paralelo" foi "o nosso primeiro filho". E quando o assunto é o segredo do sucesso, a dupla afirma que é só trabalho e esforço querendo deixar esse legado para a próxima geração. Vamos ao nosso bate-papo:

HT - Vocês fazem parte da nova geração de compositores da música sertaneja. Qual o legado que querem deixar para a próxima geração e o que adquiriram dos seus ídolos?

MK - A gente deu início à carreira há seis anos. Começamos compondo, um dom que Deus deu de presente. E, inicialmente, assinamos composições para outros artistas. É até engraçado isso. Então, muita gente do sertanejo já gravou música nossa e hoje a gente grava as nossas próprias músicas. Mas tivemos que adquirir um espaço primeiro, um carinho do meio, para depois podermos mostrar nossa cara como artista também. E tomara que a gente esteja deixando um legado aí para a nova geração. Tem muita gente talentosa. O Brasil é um berço de talentos e nunca vai parar de nascer cantores e compositores talentosos. Esperamos que essas pessoas possam se inspirar um pouco na dupla Matheus e Kauan. A gente trabalha muito e queremos dar bons exemplos para nossos fãs e para todos que gostam do nosso trabalho. Deus permita que seja cumprido esse legado como estamos planejando.

 HT - Vocês estouraram com “Mundo paralelo”, mas Kauan já estava na estrada há anos e Matheus conquistando seu espaço também. Podem nos contar a trajetória profissional da dupla? Quais os momentos mais simbólicos e quais os mais tristes?

MK - O "Mundo Paralelo" foi o nosso primeiro DVD. O primeiro filho, costumamos falar. E a gente gravou esse DVD no ano de 2013 e foi a primeira música nossa que tocou a nível nacional. Era incrível chegar no show e sentir a galera cantando. Uma emoção muito grande. Tivemos a participação de Jorge e Matheus e marcou muito na nossa carreira. Tanto que ela faz parte do repertório de nossos shows até hoje. Momentos bons que marcaram nossa carreira ocorreram durante o Caldas Country, o primeiro palco grande que a gente subiu na vida para cantar para mais de 70 mil pessoas com a música que a gente tinha composto para o evento. Momentos tristes não deixam recordações. 

HT - No Festival Villa Mix vocês receberam o cantor e compositor argentino Axel, que cantou com a dupla “Amor sem medida”. Podemos considerar um ensaio para uma carreira internacional de vocês?

MK - Olha, achamos que estaríamos sendo muito pretensiosos falando que a gente já tem isso em mente. Não temos nada pensado. Estamos muito satisfeitos com o trabalho realizado no Brasil, que é um pais muito grande. Se ficássemos fazendo shows todos os dias mesmo assim não conseguiríamos ir a todos os lugares desse país.. Então, estamos muito satisfeitos com a estrada que estamos trilhando por aqui Mas se for da vontade de Deus, vamos fazer shows onde for preciso. 

HT - Brasília e a orla litorânea similiar a uma paradisíaca praia foram o cenário para a gravação do terceiro DVD de vocês. Qual o motivo deste local ter sido escolhido para o DVD?

MK - Já é o segundo DVD que a gente grava aqui. Optamos por Brasília por ter um público muito legal e vários fãs. Sabemos que o público do Planalto Central gosta de Matheus & Kauan. Sempre abraçou nosso projeto, desde dos primeiros shows que a gente fez. O DVD Na Praia foi um divisor de águas na nossa carreira e graças a Deus vem Na Praia 2.

 HT - O Brasil é um país rural, mas o sertanejo conquistou o público em todas as metrópoles. Qual o segredo desse sucesso?

MK - Não tem segredo, acho que a gente trabalhou muito pAra isso assim todo artista quando começa a cantar sonha fazer shows pra varias pessoas. É incrível ver a galera cantando a música da gente. Achamos que nosso trabalho foi abençoado por Deus. Fizemos as coisas certas para acontecer esse sucesso todo. Esperamos que dure por muito tempo o que é maravilhoso.

HT - “O nosso santo bateu” é uma das músicas mais tocadas no país e teve 100 milhões de views no Youtube. Qual a história dessa música?

MK- Essa música foi composta por Matheus cinco dias  antes dessa gravação do DVD. Então, foi algo bem corrido, assim como "Decide aí”, “Incerteza” e outras músicas que a gente teve muito pouco tempo para fazer. E deu super certo.

 

[email protected]

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais