Dragão Fashion Brasil: a encruzilhada mística e dark do desfile de Mark Greiner

Estilista apresentou coleção-manifesto, no melhor desfile da temporada

Nunca achei que diria isso, mas… amei estar em uma encruzilhada, diabólica, em meio a bruxas,feiticeiras, num clima mezzo místico mezzo dark. Coisas de Mark Greinerbabies, que desfilou uma coleção-manifesto no Dragão Fashion Brasil 2016 – sagrando-se, no crivo de nossa equipe presente em corpo e alma em Fortaleza, como o melhor desfile da temporada. 

Com o intuito de alertar para o orgulho em ser mestiço – em tempos de intolerância e de insistência de uma descabida superioridade racial -, e da importância da diversidade cultural – e respectivas necessidades de manutenção numa sociedade onde tudo anda caindo no limbo; Mark lançou mão de manifestações populares e chamou a pomba gira fashion para dar um grito de alerta e dar o papo: se segura, malandro, porque o trilho está perto de descarrilar. 

Com um perfume witch, o séquito do cearense conseguiu mandar o recado – exaltando aquela expertise do Dragão Fashion de uma moda autoral com conceito de maestria -, e ainda entregar uma moda… casual. Matou dois coelhos com uma cajadada – ou enfeitiçada – só. Com uma paleta de cores sóbria, Greiner apostou em sobreposições, amarrações, ao mesmo tempo que entregou silhuetas desabadas, peças destroyed e um ótimo luréx molhado (ficou bem melhor que os vários veludos molhados que vimos na última temporada paulistana, por exemplo, viu?). 

Corroborando com a ideia de que a moda é antropologia pura e munição digna do BOPE para fuzilar o descaso e o sectarismo, Mark Greiner vestiu a máscara da cobrança e ainda convocou orixá para dar a cartada final. Vai encarar – ou melhor: vai discordar ou não usar? Conselho de amigo: cai na encruzilhada dele, vai.

[email protected]