A arte de ser atemporal na moda: Vera Arruda é lembrada na TrendHouse'2012 

Maceió mostra sua chancela criativa com a semana de moda que agita a capital alagoana

Confira também o nosso blog

Deixar a sua marca em um nicho no qual as tendências são tão descartáveis e efêmeras, como é o caso do mundo da moda, é um feito de poucos. Vera Arruda (1966-2004) conseguiu chegar lá. A estilista alagoana, falecida há oito anos por conta de complicações motivadas pelo tratamento de um câncer no timo, é reconhecida até hoje por ter criado um trabalho singular, que expunha a riqueza estética brasileira. É impressionante como sua arte é atemporal e super contemporânea. Em virtude de todo esse talento, Vera é incensada na TrendHouse' 2012, semana de moda e gastronomia, que rola até sexta-feira, em Maceió. 

Vera Arruda era linda, tanto que aos 18 anos venceu o concurso de Miss Alagoas. Depois disso, ela passou a dar foco à sua carreira de artista plástica, a princípio produzindo bijuterias com uma cara bem brasileira. Já aos 31, a designer resolveu fincar o pé no mundo da moda e se mudou para São Paulo, onde começou a flertar com o sucesso que, dali para frente, seria arrebatador. Em 1988, um ano após a mudança, Vera participou do Phytoervas Fashion Awards, embrião do São Paulo Fashion Week, e foi escolhida a melhor estilista do evento, o que a fez ser chamada para estudar no Studio Berçot, em Paris. E aí, pronto: uma grande profissional do universo fashion nascia!

A alagoana começou a produzir peças para grifes como Rosa Chá e Ellus e a assinar figurinos de muitas famosas, dentre as quais estão Adriane Galisteu, uma de suas principais entusiastas, Ivete Sangalo, Astrid Fontenelle, Margareth Menezes e Xuxa. O trabalho de Vera se caracterizava pela utilização do patchwork, além de muitos tecidos nobres, com estampas, coloridas, florais e pedrarias. Também havia bastante crochê em suas criações - todas sempre de muito bom gosto e dotadas de um caráter atemporal. 

Na festa de abertura da Trend House 2012, na Associação Comercial de Maceió, estilistas desfilaram looks em homenagem à Vera Arruda. E não para por aí: faz parte do evento a exposição Viva Vera, Vera Viva, na qual o trabalho da designer pode ser conhecido por aqueles que nunca tiveram contato com a sua produção e lembrado por quem teve a sorte de apreciar as criações dessa artista enquanto ela estava no ápice de sua vida e criatividade.  O curador da semana de moda, James Silver, emocionou editores de moda de Norte a Sul do país, que estão acompanhando o melhor da produção local, socialites, fashionistas, familiares de Vera Arruda e até o vice-governador do estado, José Thomaz Nonô, ao nos proporcionar uma viagem ao túnel do tempo em um vídeo no qual estavam registrados os momentos mais significativos da carreira de Vera, depoimentos de amigos e admiradores de sua arte, além de registros jornalísticos que corroboravam que ela fez história em todo o país. O bacana era ver uma nova geração de estilistas e de estudante de moda comentando como as roupas assinadas por Vera até hoje podem ser usadas no dia-a-dia. E foi incrível ver a sobrinha da estilista, Renata Arruda, a bordo de um longo belíssimo, que integra o acervo de roupas da tia. Aliás, foi Renata quem assinou a curadoria da exposição que pode ser conferida no Vox Room, local onde estão sendo realizados os desfiles de grifes locais e nacionais. 

[email protected]