Com geografia como arma, GO Fashion Week acende holofotes sobre moda goiana

Durante três dias, Goiânia promove evento com intuito de abrir olhos do Brasil para produção local

Confira também o nosso blog.

Literalmente localizada no centro do mapa do Brasil, Goiânia quer deixar para trás o papel de coadjuvante do cenário da moda nacional e fazer jus ao posicionamento geográfico e atrair holofotes para a sua produção no mundo fashion. E sua principal arma nesta batalha foi sacada ontem (08), com o início do GO Fashion Week, nova semana de moda da capital goiana, cujo maior objetivo é reposicionar a cidade no ranking nacional de pólos de confecção do país. Você pode não saber, mas Goiânia já ocupou o quarto lugar nesta lista. E agora quer de volta seu lugar ao sol...

"Nossa intenção também é trazer as pessoas para debatermos sobre moda: o estilista, a imprensa, o confeccionista e o público, claro", comenta Marcelo Sáfadi, diretor-executivo do evento, que está sendo realizado no Centro Cultural Oscar Niemeyer e contou com um nome de peso da moda nacional para abrir os trabalhos, antes da primeira noite de desfiles: Walter Rodrigues, que, em palestra, comentou sobre as principais tendências para o Verão 2013, além de ressaltar qual o principal papel de um evento como o GO Fashion Week. "O importante é a descentralização da moda", definiu Walter, chancela de ouro para trazer à baila nomes ainda distantes do grande centro, como Adevânia Silveira, Código Z e Sallo, marcas que integraram o line up deste primeiro dia.

E, além dos desfiles, o GO Fashion Week ainda promove oficinas que levam os participantes a uma viagem por todo o processo de criação/confecção da moda, desde o surgimento de ideias até o momento da costura das peças. Assim, o público goiano à procura da produção local de seus talentos da moda ainda tem semeada a semente que o GO Fashion Week está plantando: Goiânia também quer se tornar, e de forma literal/geográfica, centro das atenções do mundo da moda. 

[email protected]