Furacão varre o Fla no Paraná

Atlético-PR faz três gols em 21 minutos e goleia o time carioca, que cai para 3ª posição

Curitiba -  Tinha tudo para dar errado. E deu. Sem o goleiro Diego Alves, com o sistema defensivo cometendo seguidos erros e tendo Lucas Paquetá em um péssimo dia, o Flamengo sucumbiu em apenas 21 minutos. Foi goleado  por 3 a 0 pelo Atlético-PR, ontem, na Arena da Baixada, gols de Pablo, Raphael Veiga e Zé Ivaldo, e caiu para a terceira posição na tabela, com os mesmos 37 pontos.

Se o Flamengo pretendia quebrar o longo tabu em Curitiba, onde não vence o Atlético-PR em jogos do Campeonato Brasileiro desde o distante ano de 1974, deveria ter entrado em campo com outra disposição. O time jogou desfalcado de Diego Alves, Diego e Réver, que, poupados, ficaram no Rio, além de Henrique Dourado, que estava suspenso. E não deu nem para a saída. Levou três gols nos primeiros 21 minutos e passou o restante do tempo vendo a torcida do Furacão provocar com gritos de “O freguês voltou”. 

O horário do jogo, marcado para às 11h, parece ter afetado o time do Flamengo. Os jogadores entraram em campo dormindo e assim permaneceram durante todos os primeiros 45 minutos. Os gols saíram um atrás do outro (9, 16 e 21), para desespero da torcida rubro-negra carioca. Com a enorme vantagem construída em apenas 12 minutos, o time da casa apenas administrou o placar. Na verdade, tirando um gol feito perdido por Vitinho logo após o Atlético-PR abrir o placar, o Flamengo nada fez no primeiro tempo.

O Flamengo até melhorou um pouco na etapa final, mas não a ponto de ameaçar a vitória paranaense. A entrada de Lincoln deu algum gás à equipe, mas as apagadas atuações de Everton Ribeiro, Uribe e Paquetá impediam qualquer reação. E por pouco o Atlético-PR não ampliou o placar: aos 23 do segundo tempo, Nikão invadiu a área e mandou na trave de de César.

Atlético (PR)-  Santos; Jonathan, Zé Ivaldo, Léo Pereira e Renan Lodi; Wellington, Lucho González (Bruno Guimarães) e Raphael Veiga (Bruno Nazário); Nikão (Plata), Marcinho e Pablo. Flamengo: César; Rodinei, ThulerLéo Duarte e Renê; Cuéllar (Marlos Moreno), Willian Arão e Lucas Paquetá; Éverton Ribeiro (Geuvânio), Vitinho e Uribe (Lincoln). Juiz: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG). Cartões amarelos: Pablo, Zé Ivaldo, Léo Pereira e Vitinho.

__________

Cuéllar critica letargia inicial

Não tinha mesmo desculpa. Depois de uma atuação desastrosa do time rubro-negro, o volante Cuéllar sequer se esforçou para justificar a acachapante derrota. Só admitiu que faltou concentração em campo. “Entramos dormindo. Temos que ser conscientes. Disputando um título, não podemos entrar assim. Temos que ver o que fizemos de bom e de ruim para o próximo jogo”, declarou.

E o próximo jogo, contra o Vitória, na quinta-feira, no Maracanã, será de crucial importância para o técnico Maurício Barbieri afastar qualquer possibilidade de crise. “Temos ajustes para fazer como qualquer equipe. Temos pontos positivos para potencializar. Não tem nada perdido”.

O treinador disse que havia alertado que o Atlético-PR iria procura usar a vantagem do campo no começo do jogo’. “Foi um resultado muito ruim por causa de nosso início desastroso”, resumiu o treinador.

Mesmo abatido pela péssima apresentação, que empurrou o time para o terceiro lugar, o treinador rubro-negro tentou mostrar confiança em relação à briga pelo título brasileiro.

“Vai começar um novo turno e tivemos um bom desempenho no primeiro. Não fomos o primeiro, mas estamos entre os primeiros. Já falamos que pouco importa a liderança no começo. O que vale mesmo é estar em primeiro após a última rodada”, finalizou, com uma frase feita.