L! Espresso: Quem vale mais? O Brasil que vence sem Neymar ou a Argentina humilhada sem Messi?

Seleção Brasileira bateu a Alemanha e Argentina foi atropelada pela Espanha

Foi um dia perfeito para o torcedor brasileiro. E desesperador para os hermanos. A seleção de Tite, demonstrando força de conjunto, bateu a Alemanha em Berlim, no primeiro confronto após o fatídico 7 a 1. A reação dos donos da casa, que não jogaram com todos os titulares, é verdade, deu a dimensão precisa do que foi o jogo "Venceu o melhor", escreveu em seu site a federação alemã. Mas o melhor da tarde ainda estava por vir: a 2.300 Km de distância, em Madrid, a Espanha, mais Fúria do que nunca, goleou a Argentina por 6 a 1, com um show de Isco, autor de três gols. "Papelonazo" foi a manchete do diário Olé, refletindo toda a preocupação com a fragilidade demonstrada pela defesa do time de Sampaoli. Mas Messi não estava em campo, dirão alguns. Neymar também não, na vitória brasileira. O que fez a diferença nos dois jogos – e tem sido assim desde as eliminatórias – não foram os desfalques. O ponto é que o Brasil encontrou um padrão de jogo, mudou a postura em campo, ganhou confiança. Exatamente o oposto do que ocorre com a seleção argentina. Um bando muito mais do que um time, sempre de cabeça baixa e esperando o pior. Tudo pode mudar até a Copa. Mas a rodada de ontem – que ainda teve vitória da França por 3 a 1 sobre a Rússia e empate de Inglaterra e Itália por 1 a 1, nos jogos principais – dá ao menos um indício de como os chamados favoritos vão chegar ao Mundial. Em tempo: a Suiça, primeiro adversário do Brasil na Copa, venceu o Panamá por 6 a 0.

Sem euforia

Apesar da vitória convincente, e de elogiar a superação do impacto emocional que o jogo apresentava para a Seleção, Tite não gostou de tudo o que viu: “Tiveram coisas positivas, mas também defeitos. Erramos passes, alguns ajustes de passes centrais, para poder triangular mais. No segundo tempo abriram-se os espaços. Tem alguns ajustes que são importantes em termos táticos, para que a equipe se molde e tenha bom desempenho”, disse o técnico após o jogo, E fez uma revelação: a lista dos convocados para a Copa não está fechada. Nem os titulares definidos: "Vários jogadores estão brigando pela titularidade. Não adianta ficar com meias palavras. Fernandinho, Willian, Thiago, Marquinhos, Miranda, não adianta querer responder. Eles jogam muito nos seus clubes, jogam muito na seleção. Vou ficar ainda mais de cabelo branco", admitiu.

Quer ler mais opinião e informação todos os dias? O LANCE Espresso é uma newsletter gratuita que chega de manhã ao seu e-mail, de segunda a sexta. É uma leitura rápida e saborosa como aquele cafezinho de todos os dias, que vai colocar você por dentro das principais notícias do esporte. A marca registrada do jornalismo do LANCE!, com análises e contextualização de Luiz Fernando Gomes. Clique aqui e inscreva-se.