No auge, Willian apoia concorrente Borja, mas rejeita status de talismã

Mesmo saindo do banco em alguns jogos, atacante é o artilheiro do time na temporada

Aos 30 anos de idade, ainda no início de sua trajetória pelo Palmeiras, Willian se vê no auge da carreira como atleta profissional. Na briga por uma vaga de titular, o atacante respalda o concorrente Miguel Borja, mas rejeita com convicção o status de talismã.

Dono de três títulos brasileiros (2011, 2013 e 2014) e ganhador da Copa Libertadores (2012), Willian foi contratado pelo Palmeiras no início da temporada após passar pelo Cruzeiro. No novo clube, com nove gols em 26 partidas, ele detém a condição de artilheiro.

"Creio que esse é meu melhor momento, até porque com o tempo você amadurece, ganha bagagem. Em um grupo tão qualificado, a gente está sempre aprendendo. Eu me sinto um privilegiado de integrar um elenco como esse. Vivo um momento especial e espero manter no restante do ano", declarou.

Enquanto Willian foi contratado sem alarde após uma temporada discreta pelo Cruzeiro, Miguel Borja, campeão da Copa Libertadores 2016 pelo Atlético Nacional, chegou com status de estrela. O estrangeiro contabiliza seis gols em 16 partidas e enfrenta dificuldades para se adaptar ao futebol brasileiro.

"Muitas vezes, o torcedor quer uma resposta imediata por tudo que o clube investiu para trazê-lo quando havia vários outros interessados. Nesse começo, precisa de paciência. Ele sabe que tem apoio da comissão técnica, da diretoria e do grupo. Ainda vai dar muitas alegrias ao Palmeiras", disse Willian.

Embora não hesite ao apoiar Miguel Borja publicamente, o atacante deixa claro que o status de talismã não é suficiente para satisfazê-lo no Palmeiras. De suas 26 partidas com a camisa do Palmeiras, Willian iniciou 19 entre os titulares - como é capaz de atuar pelos lados do campo, ele pode jogar ao lado do colombiano no ataque.

"Descarto essa situação. Fiz 70% dos jogos aqui como titular e tenho que valorizar isso em um grupo tão competitivo. Não caí de paraquedas no Palmeiras, fui contratado pelo trabalho feito em outros clubes. Todos os jogadores têm sua importância e não me sinto como reserva", afirmou Willian.