Com pedidos atendidos, Dorival 'quebra a cabeça' para montar novo Santos

Assim que terminou o Campeonato Brasileiro do ano passado, o técnico Dorival Júnior afirmou que pretendia ter mais cinco ou seis jogadores que pudessem compor o elenco do Santos para 2017. Apesar do Peixe ainda tentar a contratação do atacante Bruno Henrique, o comandante santista pode considerar que seu pedido foi 95% atendido. E por conta disso, ele terá uma 'dor de cabeça boa' para montar o novo Peixe.

Inicialmente, o treinador não pretende fazer mudanças radicais entre os titulares e deve manter a espinha dorsal da equipe durante o começo da temporada. O principal problema de Dorival é na defesa.

Sem poder contar com Luiz Felipe e Gustavo Henrique até o meio do ano, pois ambos estão machucados, o técnico vem esboçando algumas variações no setor defensivo do alvinegro. Após a chegada de Cleber, que veio do Hamburgo, o comandante sabe que dificilmente receberá o reforço de mais um um zagueiro e, por conta disso, não descarta a utilização de um ou dois volantes na função.

Uma das ideias estudadas pelo treinador é a linha defensiva com cinco jogadores, recuando dois volantes e deixando apenas um zagueiro de origem centralizado. Dorival acredita que no 5-4-1 ou 5-3-2 o Peixe pode ganhar solidez na defesa, sem perder a força ofensiva, tão cobrada pela torcida santista.

"Não vamos mudar completamente. Temos que criar possibilidades, melhorando o poderio ofensivo e defensivo. Trouxemos jogadores com característica de mobilidade e boa troca de passes, assim como os que aqui estavam. Criar novas condições se faz necessário. Pode ser dentro de uma partida, ou algo mais definitivo, depende da assimilação e desenvolvimento do que vai ser treinado. Se não avançar, podemos voltar ao que fazíamos e estava dando certo", explicou Dorival.

Além do setor defensivo, o ataque também pode passar por mudanças no começo do ano, porém, como as principais peças do clube foram mantidas, os testes do treinador santista devem começar aos poucos. Reforçado pelos atacantes Kayke e Vladimir Hernández, o comandante pode sacar Vitor Bueno para ganhar mais uma opção no meio, aproveitando a velocidade do colombiano pelos lados do campo.

Caso opte por uma formação mais conservadora, Dorival pode escalar o meia de 22 anos ao lado de Lucas Lima, deixando Kayke e Ricardo Oliveira no comando de ataque. E a possível chegada de Bruno Henrique pode aumentar ainda mais a 'dor de cabeça' do treinador.

Apesar das novidades, o time-base para o início da temporada deve ser formado por: Vanderlei; Victor Ferraz, Cleber, David Braz e Zeca; Thiago Maia, Renato e Lucas Lima; Vitor Bueno, Copete e Ricardo Oliveira.