Acusado de pedofilia, técnico italiano se mata na cadeia

Antonio Marci morreu asfixiado com um saco na cabeça

Um treinador de futebol juvenil italiano, acusado de prostituição de menores e posse de material pornográfico infantil, tirou a própria vida após ser preso em Alexandria, na região de Piemonte, na Itália.

Antonio Marci, de 63 anos, morreu asfixiado após colocar um saco na cabeça. O advogado de defesa, Massimo Taggiasco, disse à ANSA, que "havia pedido a [prisão] domiciliar porque eu penso que a penitenciária não é adequada para proteger sua segurança, mas eu nunca teria esperado uma coisa dessas", ressaltou.

O treinador foi preso após o depoimento de uma vítima, de 29 anos, que havia, por um acaso, reconhecido Marci em um bar.

Depois disso, a polícia surpreendeu o pedófilo em sua casa, na companhia de outro jovem.

No apartamento foram apreendidas centenas de fitas de vídeos com imagens de seus encontros com os jogadores de futebol de sua equipe. "No outro dia, no final do interrogatório, ele prometeu que quando nos encontrássemos me explicaria tudo", acrescentou Taggiasco. Marci, possivelmente, teria tido um passado conturbado, no qual foi vítima de violência sexual. "Um incidente que evidentemente marcou sua vida, no entanto não justifica o que ele fez, mas explica tudo", completou o advogado.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais