Ex-jogador da Chapecoense, Camilo lamenta tragédia 

O meia Camilo atua pelo Botafogo, mas possui uma grande identificação com a Chapecoense. Muito abalado com o acidente envolvendo a delegação do clube catarinense, no qual atuou por mais de uma temporada, o jogador não fez questão de esconder a tristeza e ressaltou a amizade com algumas das vítimas.

"Eu estava indo para o treino e meu irmão me informou, fiquei em choque, em pânico. Estava totalmente abalado. Cheguei em casa para ficar com minha esposa, que é amiga de várias esposas. Foi uma tragédia, uma tragédia", declarou o atleta, em entrevista coletiva realizada em sua própria casa, na tarde desta terça-feira. "Muito triste. O que nos resta é dar os pêsames aos familiares. Convivemos juntos por muito tempo. É a pior dor do mundo", completou.

Dentre os 19 atletas mortos confirmados até o momento, Camilo atuou com oito deles e revelou ainda ter uma relação de amizade com alguns, inclusive com o zagueiro Neto, que ainda está vivo.

"Joguei com o Neto, é meu amigo. Desde que eu saí, nós temos dois grupos no celular em que a agente se comunicava. Mantivemos o contato. Denner, Danilo, Ananias, Gil, Cleber Santana, Thiego, Caramelo… realmente é muito triste. Além dos outros profissionais, Cocada, o massagista Serginho, Maurinho… São pessoas que vão ficar na minha memória para sempre", lamentou o meio-campista, que ainda atuou com o ídolo Bruno Rangel, também falecido.

Camilo atuou pela equipe alviverde entre meados de 2014, ao longo de todo 2015 e foi transferido para o Al-Shabab, dos Emirados Árabes Unidos, após boas apresentações. Envolvido em problemas salariais no Oriente Médio, ele rompeu o contrato e se transferiu para o Alvinegro Carioca no meio deste ano.

Em solidariedade ao acidente, o Botafogo cancelou o treino desta manhã e decretou luto oficial de três dias. Além disso, a delegação, junto do técnico Jair Ventura, realizou uma oração em solidariedade às vítimas e aos familiares.