Moisés supera dores no pé e reconhece sua importância no Verdão

Um dos pilares do Palmeiras na conquista do eneacampeonato brasileiro, Moisés teve que se superar em 2016 para ao final do ano erguer a taça da principal competição nacional. Em fevereiro, ainda no início da disputa do Paulista, o meio-campista sofreu uma fratura no pé esquerdo e ficou afastado dos gramados por três meses.

Após se recuperar da lesão, Moisés voltou justamente na estreia do Verdão no Brasileiro, na goleada por 4 a 0 sobre o Atlético-PR, no Palestra Itália. Três jogos depois, conquistou a titularidade no meio-campo alviverde e se tornou peça fundamental no esquema do técnico Cuca.

"Foi um ano de superação individualmente para mim, pela lesão que eu tive, pelos vários jogos com dores… E também do grupo, pelo ano tão difícil, que começou desenhando uma tragédia, correndo risco de cair para Série A2 do Paulista, então foi um ano de superação, de amadurecimento, e se não fosse um grupo tão humilde não teríamos conseguido", contou o jogador de 28 anos, durante entrevista na zona mista do Estádio Palestra Itália, após a confirmação do título no último domingo.

Com três gols, sendo um deles marcado na vitória sobre o arquirrival Corinthians, em Itaquera, Moisés se destacou tanto na marcação do meio-campo palmeirense quanto na parte ofensiva. Apesar de não querer se considerar o melhor jogador do Brasileiro, o atleta se convence de sua importância na conquista da equipe.

"Eu fui um jogador importante, isso é inegável. Mas é detalhe, opinião, uns vão achar que fui eu, que foi o Dudu, ou outros jogadores de outras equipes. O importante é o título, essa festa e a certeza que eu vou ficar marcado na história desse clube tão grandioso", ressaltou, comemorando ter participado do título na condição de titular.

"Foi um campeonato de afirmação, né. Junto com o clube, que vem crescendo, se estruturando, e uma hora você vai ganhar depois de fazer as coisas certas. Então parabéns ao presidente, a diretoria pela montagem do elenco, pela ambição de querer vencer. Fico feliz por estar em um grupo tão vencedor, eu sendo campeão efetivo, participando, isso vai ficar marcado na minha vida", analisou.

Caso Cuca opte por não poupar os titulares na última partida do Palmeiras no ano, Moisés se despedirá da temporada 2016 contra o Vitória, no próximo domingo, em Salvador, em duelo válido pela 38ª e derradeira rodada do Campeonato Brasileiro.

Torcida por permanências - Moisés ainda manifestou sua torcida pela permanência da base do elenco palmeirense e de seu comandante, o técnico Cuca, que tem contrato só até o fim do ano e não deve ficar para 2017.

"Já sabíamos que teremos uma perda que é o Gabriel Jesus, já confirmada, mas de resto a gente torce para que permaneça a maioria. Vamos torcer para que o Cuca permaneça e a gente faça um grande 2017. É um grande treinador, espero que não só ele, mas que todos fiquem, porque é um grupo vencedor",

"Esperamos que sim, é um grande treinador, vai ter assédio, alguns falam que quer estudar. Espero que não só ele fique, mas todos, porque é um grupo vencedor", concluiu Moisés.