Esperando fim do contrato, Valdivia vai à Academia e brinca

Cumprindo programação de treinos paralela à do elenco, Valdivia apenas espera o fim de seu contrato com o Palmeiras, no dia 17. Mas apareceu sorrindo nesta sexta-feira, até brincando com os jogadores que tinham acabado de trabalhar sob o comando de Marcelo Oliveira.

O chileno teve rápida aparição no gramado e seguiu para os vestiários fazendo graça com os goleiros e atletas que restavam no campo da Academia de Futebol, centro de treinamento do Palmeiras. Mas fez questão de nem trocar olhares com profissionais de imprensa.

Ao deixar a Academia de Futebol, em seu carro, o meia encontrou um pequeno grupo de palmeirenses e fez questão de estacionar de parar para atendê-los, tirando fotos e dando autógrafos. Mas se irritou quando houve a tentativa de filmá-lo, acelerando para deixar as dependências palmeirenses. Ele apenas cumpre horários de treino, costumeiramente diferentes dos do elenco.

O presidente Paulo Nobre anunciou há três semanas que Valdivia não ficará no clube e apenas não o libera antes para evitar ter gastos maiores com investidores – sua camisa 10 já está sendo usada por Barrios. O Al Wahda, dos Emirados Árabes Unidos, divulgou acordo com o meia enquanto o jogador ainda disputava a Copa América pela seleção chilena, no mês passado.

Valdivia sempre impôs dificuldades para renovar com o Palmeiras: não aceitou o modelo de produtividade (salário maior de acordo com a frequência) imposto pelo presidente Paulo Nobre, criticou publicamente Alexandre Mattos e não gostou da primeira oferta da diretoria (cerca de 25% do salário atual como valor fixo e aproximadamente metade do que ganha atualmente se atuar em todos os jogos do mês).

O jogador sai sem o Palmeiras receber nada. Apesar de o clube ter arcado com R$ 30 milhões para tirá-lo do Al Ain, dos Emirados Árabes Unidos, em agosto de 2010, fora gastos com salários e ajuda de cerca de R$ 6 milhões pagos pelo então conselheiro Osorio Furlan.