Que fase! Dívida de R$ 60 mil pode melar patrocínio do Vasco

A consultoria esportiva Think Ball & Sports, que agencia a carreira de diferentes atletas, entre eles o flamenguista Paolo Guerrero, entrou com uma ação legal na Justiça para reaver uma dívida de cerca de R$ 60 mil junto ao Vasco, referente ao agenciamento do meia Caíque, que passou pelo clube entre 2010 e 2011. O processo pode resultar na penhora de parte do patrocínio da Viton 44.

A empresa carioca, que produz a bebida Guaraviton e patrocina, além do Vasco, o Flamengo e o Fluminense, tem um contrato de patrocínio de cerca de R$ 15 milhões com o clube cruzmaltino. Deste montante, R$ 62.267,53 estão sendo cobrados pela Think Ball & Sports para o acerto da dívida, que foi contraída no mandato do presidente Roberto Dinamite.

Em uma primeira decisão no tribunal, o juiz indeferiu o pedido de bloqueio do patrocínio. Em abril, os agentes da empresa de assessoria entraram com um novo pedido e ainda não obtiveram resposta. A Think Ball afirma ter direito à quantia pelo contrato de gerenciamento de carreira que tinha com Caíque, atualmente no Ulsan Hyundai, da Coreia do Sul.

O Vasco, que já convive com problemas financeiros e luta para que as polêmicas nos bastidores não influenciem o desempenho dentro de campo, corre o risco de perder não só cerca de R$ 60 mil como o próprio contrato de patrocínio com a Viton 44, que atualmente estampa sua marca nas mangas do uniforme.