Dueto brasileiro é 12º no Mundial de Kazan 

O dueto Duda Miccuci e Luisa Borges encontrou a força vinda da "Amazônia" brasileira para garantir seu lugar entre as doze melhores duplas do mundo no Nado Sincronizado, na rotina livre. Com 84.4667 pontos (execução - 24.9000; impressão artística - 34.2667; dificuldade - 25.3000) as meninas do Brasil não sentiram a pressão da estreia, como duplas, em mundiais e encerram as apresentações de duetos com a 12ª colocação. A final foi disputada nesta quinta-feira, (30/07), pelo Campeonato Mundial de Kazan.

O próximo desafio brasileiro será a também final, desta vez por equipe, na rotina livre, amanhã, a partir das 11h30 (hora de Brasília).

"Foi maravilhoso estrear como dueto no Mundial, competir com outras meninas muito boas e de nível técnico bem elevado. Nosso objetivo maior era chegar nesta final e conseguimos. Hoje fizemos uma nadada muito boa e entramos com muita vontade. Conseguimos transmitir tudo que queríamos e ainda aumentamos nossa nota. O nosso mundial foi muito bom", analisou Luisa Borges.

Esta foi a terceira apresentação desta rotina (Pan e eliminatória e final em Kazan), de difícil execução, que tem o tema baseado em cinco espécies da natureza amazônica (macaco, morcego, cobra, pássaro e jaguatirica), e a cada apresentação, a dupla do Brasil aumentou sua nota, comprovando assim o progresso da apresentação.

"Estamos sempre treinando para poder melhorar. Entramos com muita garra e vontade de passar alguns países. Não tínhamos mais nada a perder, arriscamos tudo e subimos a nota. Tem alguns países bem juntos. O mundial é a competição que mais se assemelha aos Jogos Olímpicos, para o dueto, e encaramos como um treinamento bem pesado para a Olimpíada e chegar a final nos motiva ainda mais para buscar uma final", analisou Duda Miccuci.

A prova final do dueto livre já era a segunda fase de um processo. Para se classificar nesta disputa, as duplas tiveram que estar entre as doze primeiras nas eliminatórias, que contou com 37 seleções.

"O saldo foi super positivo. É dificílimo entrar na final de um Mundial, com todas essas duplas, ainda mais na estreia. Agora nós visamos chegar na final olímpica e não parar por aí. Vamos buscar subir cada vez mais de produção. Hoje saio daqui feliz e satisfeita com o crescimento do dueto", analisou Maura Xavier, uma das treinadoras do Brasil.

A dupla brasileira, Duda Miccuci e Luisa Borges, que também integra a equipe livre, encerrou as provas entre dueto, no Mundial de Kazan, levando o Brasil a 12ª e 14ª posições, nas rotinas livre e técnica, respectivamente.