Tom Brady se decepciona com punição e pode levar NFL à Justiça

Na última terça-feira, a NFL anunciou que Tom Brady está proibido de entrar em campo nas quatro primeiras partidas do New England Patriots na próxima temporada da principal liga de futebol americano do planeta. O motivo? O envolvimento do jogador, deflagrado via relatório, na polêmica das bolas murchas na partida da equipe de Boston contra o Indianapolis Colts, na final da última Conferência Americana. Nesta quarta-feira, o astro se pronunciou via Facebook e se disse triste com a sanção.

“Estou muito desapontado com a decisão da NFL”, escreveu o marido da modelo brasileira Gisele Bündchen. “Eu não fiz nada de errado, e ninguém na organização Patriots fez também”, acrescentou antes de se dizer “decepcionado” pelo fato de ter se submetido a horas de depoimentos nos últimos dias e ainda sim ser considerado cúmplice da infração após a divulgação de um relatório.

O documento, desenvolvido de forma independente por Ted Wells, afirmou ser "mais provável do que não" que Tom Brady “tenha participado das violações das regras do jogo e esteja envolvido em um esforço deliberado para burlá-las” no duelo contra o Indianapolis Colts, em janeiro deste ano. O relatório ainda diz que o quarterback enviou mensagens de texto via celular para o assistente Jim McNally pedindo bolas com menos de 12,5 libras (limite da liga) para o jogo - o que facilita a recepção de wide receivers.

“Eu troquei meu telefone Samsung quebrado por um novo iPhone 6 depois que meus advogados deixaram claro para a NFL que meu atual aparelho telefônico não seria alvo de investigação sobre quaisquer circunstâncias", garantiu Brady, acusado de ter destruído o celular para evitar investigações. “Mais importante, eu nunca escrevi, mandei mensagem ou e-mail para alguém em qualquer momento e com nada relacionado à pressão de ar da bola antes dessa questão ser conhecida no jogo final da AFC em janeiro", continuou.

Por fim, Tom Brady revelou que já acionou a associação de jogadores da principal liga de futebol americano do planeta (NFLPA) para tentar um acordo com a NFL com relação a sua punição. Caso ele não ocorra, o passo seguinte pode ser levar a entidade à Justiça. “Eu não permitirei que meu injusto castigo se torne um precedente para outros jogadores da NFL sem uma luta", decretou o astro, tetracampeão nacional.