Para Putin, Blatter deveria ganhar um Nobel da Paz

Aliado, presidente russo defendeu cartola da Fifa

 O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou em uma entrevista à emissora suíça "RTS" na noite desta segunda-feira (27) que o líder da Fifa, Joseph Blatter, deveria receber um prêmio Nobel da Paz por sua atuação no mundo esportivo.

    O russo afirmou que não crê "em nenhuma palavra sobre o envolvimento pessoal de Blatter na corrupção" que estourou na entidade nos últimos meses e que a ação é uma tentava de alguns países sediarem os Mundiais através do uso da força - uma clara indireta aos Estados Unidos, que lideram as investigações.

    "Acho que pessoas como o senhor Blatter ou os dirigentes de grandes federações esportivas internacionais ou dos Jogos Olímpicos mereçam um reconhecimento especial. Se há alguém que mereça o prêmio Nobel, são pessoas como eles, que aproximam nações de todo o mundo e melhoram os modos com as quais elas interagem", disse o líder do Kremlin.

    No sábado (25), durante os sorteios das Eliminatórias da Copa do Mundo na Rússia, o cartola suíço tinha reafirmado o "pleno apoio" da Fifa aos organizadores russos. Há suspeitas de que a escolha da sede de 2018 - assim como a do Catar, em 2022 - tenha sido feita através de subornos aos dirigentes de várias federações. "Se alguém é suspeito por ter cometido um crime, as provas são recolhidas e transferidas para a Procuradoria do país de origem no qual mora a pessoa suspeita. Mas, isso não está conectado a uma nação - grande ou pequena - que pode dar um giro pelo mundo, colocando na prisão quem quiser", falou Putin criticando a ação norte-americana na Suíça.

    Essa não é a primeira vez que o governo russo critica a investigação do FBI contra dirigentes e ex-dirigentes mundiais.

    Um dia após a prisão de sete cartolas em Zurique, o chefe de Estado afirmou que a operação era "a última e mais evidente tentativa dos EUA de estender sua própria jurisdição a outros países". Para ele, "os EUA não tem nada a ver com a Fifa".

    Dados divulgados nos dia das prisões mostram que os norte-americanos - bem como a Justiça da Suíça - investigam outros membros do Comitê Executivo. Suspeita-se que Blatter e o secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, estejam envolvidos no esquema. O atual mandatário do órgão máximo do futebol anunciou sua renúncia ao cargo poucos dias após ser eleito para um quinto mandato. As novas eleições na entidade estão planejadas para o dia 26 de fevereiro de 2016. (ANSA)