Advogados de Marin pedem tempo na defesa contra extradição

O ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol, José Maria Marin, fez mais uma tentativa para evitar uma possível extradição para os Estados Unidos. Preso na Suíça, o ex-dirigente deveria apresentar a defesa no País até quarta-feira, mas os advogados do brasileiro entraram com pedido para a extensão do prazo, segundo informação do jornal Estado de S. Paulo.

Desta forma, a defesa de Marin contra a extradição tem de ser entregue ao Ministério Público em Berna até 10 de agosto. O brasileiro já manifestou às autoridades da Suíça que não concorda em ser mandado aos EUA, mas os europeus avaliarão os argumentos dos advogados para decidir o futuro do ex-dirigente.

Marin está preso na Suíça desde 27 de maio, dois dias antes da eleição presidencial da Fifa. Em investigação conduzida pela Justiça dos Estados Unidos, o brasileiro foi detido junto com outros seis dirigentes.

Ainda segundo o jornal, os americanos enviarão ao Ministério Público brasileiro o que apurou sobre Marin, além também do atual presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, e do ex-mandatário, Ricardo Teixeira.