Blatter diz que não renunciou: "Coloquei meu cargo nas mãos do Congresso"

O suíço Joseph Blatter, que desde o último dia 2 preside a Fifa de forma interina até a realização de um Congresso Extraordinário em que haverá novas eleições, voltou atrás e garantiu nesta sexta-feira que não renunciou ao cargo.

"Não renunciei. Eu me coloquei e coloquei meu cargo nas mãos do Congresso (da Fifa)", disse o dirigente ao jornal suíço "Blick" durante um evento no museu da entidade máxima do futebol mundial, deixando no ar a possibilidade de continuar no cargo enquanto estão sendo realizadas investigações nos Estados Unidos e na Suíça por casos de corrupção no organismo.

O caso, que levou à prisão de 14 pessoas, explodiu às vésperas do Congresso da Fifa em Zurique, no qual Blatter foi reeleito para um quinto mandato depois que seu único adversário, o jordaniano Ali bin Al-Hussein, desistisse do pleito antes do segundo turno.

Embora tenha sido reeleito, o suíço decidiu quatro dias depois convocar um Congresso Extraordinário para a realização de novas eleições, anunciou sua renúncia e divulgou que permaneceria de forma interina. Contudo, agora ele voltou atrás e afirmou que a situação está na mão dos outros dirigentes.

No dia 20 de julho, o Comitê Executivo da Fifa fará uma reunião extraordinária para decidir a data do congresso no qual serão realizadas as eleições, que deverá ocorrer entre dezembro deste ano e fevereiro de 2016.