Rubens Lopes quer vaga de Marin na vice-presidência da CBF

A briga pelo poder na CBF já começa a aguçar alguns cartolas, de olho nos estragos que a operação da Justiça americana provoca no Brasil. Tão logo José Maria Marin seja afastado definitivamente da entidade (hipótese bastante provável), o presidente da federação de futebol do Rio, Rubens Lopes, vai se lançar candidato à vice-presidência da Região Sudeste da CBF. O cargo, oficialmente, ainda está ocupado por Marin, preso em Zurique por causa de envolvimento com escândalos de corrupção. “Rubens Lopes quer a vaga e vai se candidatar”, contou ao Terra um dos dirigentes da federação carioca.

Lopes apenas espera o desdobramento das investigações. Está convicto, porém, de que Marin, mesmo que venha a ser posto em liberdade, não vai ter mais condições de continuar na vice-presidência. A saída definitiva de Marin só poderá ser feita por meio da realização de uma assembleia geral da CBF.

A disputa pela vice-presidência do Sudeste, que, na geografia da CBF, só inclui Rio e São Paulo, tem sido acirrada desde a renúncia de Ricardo Teixeira à presidência da entidade, em março de 2012.

Na oportunidade, José Maria Marin era o vice-presidente, indicado pelo então presidente da federação paulista, Marco Polo Del Nero. Com o fim do comando de Teixeira, Marin assumiu o controle da CBF por ser o mais velho entre os cinco vices da entidade.

Em meio ao "terremoto" no futebol brasileiro com a renúncia de Teixeira, Lopes chegou a lançar o ex-técnico Zagallo como candidato à sucessão de José Maria Marin na vice-presidência do Sudeste. Acreditava que assim a vaga ficaria com o Rio. O dirigente carioca afirmava que havia um acordo de rodízio entre as duas federações e que, portanto, era a vez de o Rio escolher o novo vice.

No entanto, a alegação do outro lado era que o mandato de Teixeira não havia terminado e que isso avalizava a continuação de um indicado pela federação paulista para ocupar o cargo. Em junho de 2012, Rubens Lopes e Del Nero finamente chegaram a um acordo. Del Nero substituiria Marin como vice e, na eleição seguinte, o bastão passaria para o Rio.

Não foi o que se viu no mês passado, quando Del Nero foi eleito presidente da CBF e pôs na sua chapa, como vice da Região Sudeste, o nome de José Maria Marin.

Agora, Rubens Lopes não está disposto a ceder. Mas, no caso, querer não é poder. Ainda na hipótese de desligamento total de Marin da CBF, Lopes teria que contar com o apoio da federação paulista para ser candidato único. Sem o consenso, a CBF teria de marcar eleição, e o eventual novo vice seria eleito pelas 27 federações e 20 clubes da Série A do Brasileiro. Nesta sexta-feira, o departamento de comunicação da Federação Carioca de Futebol entrou em contato com o Terra para negar que Lopes esteja interessado em assumir a posição de Marin. "Isso não tem cabimento", disse o dirigente por meio da sua assessoria de imprensa.