Corinthians: Guerrero inicia preparação, mas jogo do adeus vira incógnita

Após dias de muito turbilhão no CT do Parque Ecológico, o Corinthians finalmente teve uma manhã com um pouco de paz. O clube preservou os titulares na atividade nesta sexta-feira e evitou aprofundar ainda mais a crise gerada pela saída do atacante Paolo Guerrero do clube.

Após a folga de segunda-feira, os titulares fizeram nesta terça o tradicional trabalho regenerativo pós-jogo. Enquanto os reservas trabalhavam no campo, eles apenas fizeram uma leve corrida . Com isso, ainda não é possível afirmar com 100% de certeza que Guerrero jogará o clássico contra o Palmeiras como despedida do clube. De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, o atacante pode ser barrado em uma reunião entre Tite e a diretoria para decidir qual será a postura com os jogadores que estão de saída.

O Corinthians confirmou na sexta-feira que não renovará com o autor do gol do título mundial, que pede R$ 18 milhões de luvas para clube. A informação foi confirmada pelos representantes do jogador. Outro que não fica no clube é o atacante Emerson, que não terá o seu contrato renovado.

Quem falou com a imprensa no meio da crise foi o volante Bruno Henrique, que permanecerá no clube. O jogador lamenta a saída de Guerrero, e por ele, o peruano deveria fazer a sua despedida da torcida contra o Palmeiras. 

“É um clássico, jogar um clássico é sempre um jogo diferente. O Guerrero é um ídolo da torcida, fez os dois gols mais importantes da historia do clube (nas semis e final do Mundial), vai fazer falta. Fora de campo também é muito gente boa. Vamos sentir falta dele, mas que domingo a gente faça um grande jogo e possa dedicar essa vitória para ele e desejar que faça o mesmo que fez aqui, menos contra a gente”, afirmou o volante.

“Acho que os dois fizeram pelo Corinthians não tem nem palavras (Emerson e Guerrero). O Emerson fez o gol da Libertadores e o Guerrero Mundial. São dois ídolos saindo, fizeram muito para chegar onde chegaram”, completou.

A reformulação no elenco pode ser benéfica para Bruno Henrique, que pode finalmente se firmar como titular. Ele jogou no lugar de Elias na partida contra o Fluminense , e pode jogar ainda mais, já que o camisa 7 estará com a Seleção Brasileira para a disputa da Copa América . O jogador espera que a sequência faça ele deixar de ser penas um “plano B” de Tite.

“Quando isso acontece de você ter uma sequencia de jogos é muito bom. Quando você tem apenas um ou dois jogos,  você não consegue um ritmo tão bom quanto numa sequencia. Isso é bom para ele que vai para a Seleção e para mim que vai jogar”, disse Bruno Henrique. 

Elias é outro que se envolveu em uma polêmica. O jogador teria recebido uma proposta do Flamengo , recusada apenas porque nem Corinthians quiseram assumir o ônus da negociação diante da torcida. Nesta terça, Elais participou da atividade junto com os jogadores que não começaram contra o Fluminense. Bruno evitou entrar na polêmica, mas reforçou que quer deixar de ser apenas o “Plano B” de Tite. 

“(Ser chamado de) Plano B é complicado. Na suplência você sempre espera surgir o espaço para buscar a sua vaga. Se eu sou Plano B, quero trabalhar para ser Plano A e conquistar o meu espaço”, brincou o jogador.