Após fim da terceira rodada, Campeonato Brasileiro começa a esquentar

Excesso de cartões, reverência a ídolo e nordestino na liderança são alguns destaques

É bem verdade que o Campeonato Brasileiro começou devagar, com equipes ainda em construção e jogos de baixo nível técnico. Mas a 3ª rodada da competição já deu mostras de que, aos poucos, a competição vai esquentar, seja por aspectos positivos ou negativos. Teve briga entre Fred e Petros no Maracanã, mais um festival de cartões como consequência da política de "tolerância zero" imposta pela CBF , um gol perdido de forma incrível por Guerrero ... Mas também há muitos fatos legais para repercutir, começando pela liderança do Sport, é lógico.

É para você, Zé do Rádio

Única esquipe nordestina na atual edição do Brasileiro, o Sport tem um ínicio para lá de promissor na Série A: três jogos, duas vitórias e um empate contra o Flamengo em condições adversas no Maracanã. No domingo, o time pernambucano chegou ao topo com uma vitória sobre o Coritiba na Ilha do Retiro. Antes do jogo, destaque para a homenagem ao Zé do Rádio, folclórico torcedor do clube que morreu durante a semana . Sem dúvida, uma semana repleta de emoções aos leoninos.

Tolerância zero para cartões...

A CBF deu recomendação para os juízes serem mais rigorosos quando os jogadores reclamarem em campo e quando exagerarem na comemoração. Passadas três rodadas do Brasileiro, o efeito é visível: já são 173 amarelos e nove vermelhos em três rodadas. Só na última foram 76 advertências, sendo quatro expulsões. O jogo mais emblemático para a política de Tolerância Zero da CBF foi no confronto de Atléticos na Arena: Walter recebeu vermelho direto no final do jogo com o Atlético-MG após reclamar de uma suposta agressão de Leonardo Silva, e Douglas Coutinho viu o amarelo por se aproximar da torcida na festa pelo gol da vitória. No Allianz Parque, duas expulsões, sendo a de Bruno Henrique por excesso na comemoração. E o Valdívia, que levou amarelo por reclamação logo no começo, teve que se controlar no restante do tempo. Se não...

...mas e para os erros da arbitragem?

Houve muitas reclamações e alguns erros inquestionáveis de juízes, mas um em particular chamou muito a atenção na rodada. O árbitro Raphael Claus validou o segundo gol do Avaí, que decidiu o jogo contra o Flamengo, depois de uma clara bola perdida pela linha de fundo. Quando Anderson Lopes deu a assistência para Hugo, era para o assistente ter marcado tiro de meta. O Avaí, que não tem nada a ver com o equívoco, pôde assim comemorar sua primeira vitória no Brasileiro. Já pelo lado do Flamengo sobrou reclamações.

Gols contra

Victor Ramos, do Palmeiras, e Welinton, do Coritiba , protagonizaram lances bizarros e prejudicaram gravemente seus times. O Palmeiras perdeu por 1 a 0 para o Goiás por causa do gol contra do seu zagueiro. E o Coritiba repetiu o mesmo filme, perdendo por 1 a 0 para o Sport por causa do gol contra do zagueiro.

Gol perdido por Guerrero

Muitos jogadores perderam chances claras de gol, mas o que aconteceu com Paolo Guerrero foi muito chamativo. Logo na semana em que a diretoria do Corinthians admitiu que não renovará seu contrato, o peruano perdeu uma grande chance de marcar contra o Fluminense e salvar o seu time do 0 a 0. Errou sem goleiro, em lance em que tem aproveitamento de 99% na carreira. Mas justiça seja feita: o montinho deu uma atrapalhada em Guerrero.

Sopapos no Maracanã

Depois do jogo entre Fluminense e Corinthians, Fred e Petros bateram boca de forma agressiva nos vestiários. O corintiano até tentou minimizar o ocorrido, mas o descontrole de ambos é lamentável. Pelo menos a Polícia Militar conseguiu evitar que os jogadores trocassem agressões. Tudo começou ainda em campo, quando câmeras flagraram os dois trocando empurrões, sopapos e agressões verbais em sequência.

"Enterro"

A torcida do São Paulo carregou na ironia e no humor-negro para protestar contra a má fase do time , eliminado na Libertadores pelo Cruzeiro recentemente. Antes do jogo contra o Joinville , eles armaram um "enterro" simbólico do elenco e cantou que "esse time já está morto". Quando a bola rolou, o São Paulo nem precisou jogar tão bem para vencer por 3 a 0 e amenizar a relação ruim com a torcida.

Reverência a Romário

Foi bonito ver a comemoração de Nilmar, após fazer gol contra o Vasco em São Januário. O atacante do Inter correu em direção à estátua de Romário e reverenciou o ex-jogador como forma de homenagem a um dos maiores craques da história. Os dois times empataram por 1 a 1.

Torcida do Palmeiras

O novo horário de jogos do Campeonato Brasileiro realmente agrada a torcida palmeirense. Neste domingo, mais de 37 mil pessoas foram para o Allianz Parque para ver o jogo entre Palmeiras e Goiás. Foi a maior quantidade de torcedores em um jogo do Brasileiro  de 2015 - até agora nenhuma partida tinha superado sequer os 30 mil. Mas no fim, tantos palmeirenses saíram decepcionados pela derrota por 1 a 0 para o Goiás.

Goleiros em destaque

A média de gols da rodada foi péssima: apenas 15 marcados em 10 jogos disputados. E os grandes culpados por isso foram os goleiros. Muitos tiveram ótimas atuações, como Danilo (Chapecoense), Vagner (Avaí), Cássio (Corinthians), Renan (Goiás), Victor (Atlético-MG), Alex Muralha (Figueirense) e Marcelo Lomba (Ponte Preta).