Fifa investiga Real e Atlético por contratações de menores 

A Fifa pode abrir mais uma guerra contra os poderosos clubes espanhóis. A entidade, que já puniu o Barcelona com suspensão do direito de contratar atletas por irregularidades, agora abriu investigação contra os dois times da capital Madri, Real e Atlético, por aquisições supostamente indevidas de garotos menores de 12 anos, de acordo com o jornal espanhol As. 

Um dos casos é o do japonês T. N.. Atualmente com 11 anos, o atleta nasceu no Japão e antes de acertar com o Real Madrid jogava pelo time oriental Azu. O jogador se destacou em treinamentos organizados pela fundação do time madrileno em 2013 e teve a contratação aprovada em 28 de setembro de 2013, quando então ainda tinha nove anos.

De acordo com especialistas ouvidos pelo jornal espanhol, a Fifa impõe através de regulamento que para contratar um garoto como T.N. é necessário que ambos os pais, caso não sejam divorciados, se mudem para o local de domícilio da equipe nova e que ao menos um deles tenha o registro permanente de residência. T. N. tem pai, mãe e três irmãos, e todos devem estar em Madri para cumprir os requisitos da Fifa. 

A Fifa é cautelosa e minuciosa com este regulamento para evitar uma de suas preocupações: que o futebol rompa a unidade familiar. Recentemente, o Barcelona foi punido pela contratação de um japonês, cujo pai está no Japão e a mãe em Barcelona. A sanção da Fifa impede que o jovem atue pelo Barcelona até que complete 18 anos, em 2019.