Vice-presidente de futebol não deve ficar no Paraná em 2015

Vice-presidente de futebol do Paraná, Celso Bittencourt aparentemente não fica no clube para a próxima temporada. Apesar de negar, o dirigente já articula sua saída do cargo na reta final deste ano.

Com apenas uma rodada a ser disputada na Série B, o clube paranaense eliminou a chance de queda há duas rodadas, quando venceu o Icasa por 2 a 1, em Juazeiro do Norte. Na última rodada, empatou com o Bragantino por 1 a 1, em Bragança Paulista, e fecha sua participação com o América-RN, na Vila Capanema, no sábado.

Por isso, o foco está voltado para 2015. Em reunião do Conselho Deliberativo na última quinta-feira, Bittencourt não pode participar por compromisso particular. Os conselheiros, na ocasião, pediram para a direção informar os salários dos atletas deste ano e o planejamento do futebol para o ano que vem.

A cobrança destas ações desagradou o dirigente, que também teve seu nome barrado em um conselho consultivo criado internamente. As divergências dos dois lados, que não são de hoje, e o desgaste seriam os motivos para seu desligamento do Paraná. A boa relação com o empresário Marcos Amaral, principal parceiro do clube, também não agrada ao Conselho. Os próprios atletas também reclamam da ausência do diretor no dia a dia para explicar os atrasos salariais, que passam de quatro meses.

Em contato com a reportagem, Bittencourt garantiu que segue trabalhando no clube no momento. Nesta tarde, uma reunião com o presidente Rubens Bohlen estava programada para iniciar o processo de saída. O dirigente, inclusive, começa a articular seu retorno à vida profissional, no qual é advogado – seu trabalho no clube vem desde o final de 2010 e início de 2011, quando entrou na gestão do então presidente Aquilino Romani.