Técnico Lori Sandri morre aos 65 anos em Curitiba

No final da tarde desta sexta-feira, em Curitiba, o ex-treinador Lori Sandri morreu em decorrência de um tumor cerebral, às 17h, dentro de casa. Nascido em Encantado (RS), Sandri tinha 65 anos e lutava contra a doença há cerca de um ano.

Formado em Educação Física pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Lori Sandri iniciou a carreira no futebol paranaense em 1967, como jogador profissional, tendo passagens por times da capital, litoral e interior. Após “pendurar as chuteiras” em 1976, o gaúcho de então 27 anos começou uma nova carreira, mas no futebol e para assumir o Pinheiros (um dos times que ajudou a fundar no Paraná). Entre os grandes do Estado, o comandante trabalhou no Atlético-PR (1979 e 83), Coritiba (1995 e 2000) e Paraná Clube (2005).

Além disso, também trabalhou por outros gigantes clubes do futebol brasileiro, como Atlético-MG, Botafogo e Internacional. Fora do país, treinou equipes de Portugal, do Japão, dos Emirados Árabes Unidos e da Arábia Saudita. Ao todo, tem 10 títulos em seu currículo.

As conquistas de maiores destaques são: Campeonato Paranaense de 1983 pelo Atlético-PR, Campeonato Catarinense em 1991 com o Criciúma, e o Campeonato Gaúcho nos anos de 1998, pelo Juventude, e 2004 com o Internacional. Seu último clube foi o Botafogo, de Ribeirão Preto, há dois anos, durante o Estadual.

O corpo do ex-treinador será cremado na Capela Vaticano neste sábado, ainda sem horário definido pelos familiares. Lori Sandri deixa três filhos e um neto.