Copa do Brasil: em jogo de 5 gols, Santos bate Botafogo e fica perto de semi

Botafogo e Santos mostraram, nesta quarta-feira, como é divertido um jogo de mata-mata. Os times se enfrentaram no maracanã, pela ida das quartas de final da Copa do Brasil, e fizeram uma partida muito agitada, que terminou 3 a 2 para os visitantes. O resultado coloca o Santos perto da vaga na próxima fase, pois avançará com empate ou até vitória do Botafogo por 1 a 0 ou 2 a 1 no duelo de volta. Quem se classificar vai enfrentar Cruzeiro ou ABC, sendo que o time mineiro saiu na frente, vencendo o primeiro jogo por 1 a 0, em casa.

As falhas do Botafogo deram o tom do jogo no primeiro tempo. O primeiro a errar foi Gabriel. Ele não dominou uma bola fácil na defesa, deixou nos pés de Robinho, que abriu o placar e, de quebra, chegou ao centésimo gol com a camisa santista. Mas pelo menos Gabriel mostrou o que é dar a volta por cima de verdade: um minuto depois da falha, acertou um chute colocado, no ângulo, encobrindo o goleiro Vladimir: 1 a 1.

Tudo ficou igual por pouco tempo: aos 28min, Robinho puxou uma tabela na frente da área, mas foi a vez de Dankler falhar. Ele tinha a bola nos pés, mas perdeu a dividida com o camisa 7, que marcou o segundo dele no dia.

E a terceira falha do Botafogo veio de quem a torcida não esperava: após uma traulitada de Geuvânio de fora da área, o capitão Jefferson deixou a bola passar embaixo dos braços e entrar no gol.

O goleiro, inclusive, precisou sair no intervalo, por causa de uma lesão no dedo mindinho da mão, e deu lugar a Andrey. Ele viu mais um jogador do Botafogo se redimir aos 11min: Dankler fez boa jogada na direita e cruzou na medida para Zeballos diminuir a vantagem visitante.

Naturalmente isso fez com que o Botafogo partisse ao ataque e ficasse com mais posse de bola. Já o Santos recuou, inclusive com as substituições de Enderson Moreira, mas passou a ter espaço para contra-ataques.

Em um deles, Patito Rodríguez, que tinha acabado de entrar, colocou Robinho na cara do gol e dessa vez Andrey evitou. O atacante ainda levou o segundo cartão amarelo, após fazer uma simulação, e foi expulso. Mas nem isso foi capaz de ajudar o Botafogo.