Fifa proibirá que atletas pertençam a empresários

A Fifa decidiu, nesta sexta-feira (26), proibir que jogadores pertençam a empresas, fundos ou empresários, mas prometeu um 'período de transição' para a mudança, que será de quatro anos.

A medida promete mudar bastante o cenário do futebol nos próximos anos, especialmente o brasileiro, onde a maioria dos atletas tem esse tipo de contrato. Quando a lei entrar em vigor, apenas clubes poderão ter direitos sobre vendas dos atletas.

A participação ocorre quando os direitos de atletas ficam na mão de empresários ou fundos, como acontece com frequência no Brasil. A medida foi tomada por pressão da Uefa, a liga dos clubes europeus, que ameaçou tomar a ideia no continente caso a Fifa não agisse. Já a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) era contra a medida, pois pedia apenas a regulamentação do sistema.