Anderson Silva e Dana lamentam morte de lutador e criticam preparação errada

No Brasil para divulgar a revanche contra Chris Weidman, que acontece no dia 28 de dezembro, Anderson Silva lamentou a morte do lutador Leandro Feijão, que aconteceu na sexta-feira, horas antes da pesagem do Shooto 43, quando tentava perder quase 1 kg para se adequar ao peso necessário para lutar. Para o ex-campeão do Ultimate Fight Championship (UFC) no peso médio, a tragédia pode ter acontecido pela falta de uma equipe para orientar melhor Feijão no momento da preparação.

"Primeiramente, é uma perda que afeta todos nós atletas brasileiros. Eu o conhecia, sabia da capacidade que tinha como atleta. Infelizmente, ocorre alguns exageros, muitas vezes por não ter um nutricionista, um fisiologista do lado acaba gerando uma perda de peso sem controle. Nós, atleta de alto rendimento, temos uma condição melhor, pessoas que cuidam da preparação para que isso não aconteça", disse Anderson Silva à TV Globo.

Para o lutador do UFC, isso é um problema que pode acontecer mais vezes em categorias menores. "São atletas que não tem tanta experiência, que não tem um fisiologista para acompanhar de uma maneira correta". Um dos responsáveis por comandar o UFC, Dana White também comentou o caso na TV Globo. Para ele, o principal problema foi o fato de Feijão ter aceitado a luta poucos dias antes de sua realização.

"Eu acho que o problema aqui é que ele aceitou a luta muito em cima da hora, quando você tem que perder peso em cima da hora, a coisa fica complicada. Sempre que você ve alguém morrendo assim é triste. E quando isso acontece, você e sua equipe devem medir corretamente para chegar o máximo possível para chegar no peso saudavelmente. A organização deve estar ciente do que acontece. Infelizmente, este é um esporte que possui esse risco. Acho que a discussão principal tem que ser se deve se aceitar lutas em cima da hora".