Fred marca no fim e salva Brasil de vexame contra a Rússia

No primeiro tempo, defesa do Brasil voltou a dar sustos, assim como acontecera contra a ItáliaFoto: APNo fim, Fred fez o gol e evitou a derrota do BrasilFoto: AP

Em uma partida em que sempre esteve mais perto da derrota do que da vitória, a Seleção Brasileira empatou por 1 a 1 com a Rússia, nesta segunda-feira, em Londres, e segue sem vencer desde a volta de Felipão. Agora são três jogos nos quais o Brasil perdeu para a Inglaterra e empatou com a Itália e a Rússia.

Depois de um primeiro tempo confuso, no qual sofreu nove chutes ao gol e conseguiu finalizar apenas duas vezes, a Seleção mostrou um pouco mais de regularidade no segundo. Mas muito pouco para superar um adversário que lidera seu grupo nas Eliminatórias da Europa com 100% de aproveitamento e ocupa a 10ª colocação do ranking da Fifa. Tanto que, aos 28min, Fayzulin fez o gol russo, que por pouco não foi o da vitória russa. No fim, Fred marcou.

O jogo marcou a volta de Kaká ao time titular, mas o meio-campista ficou abaixo do esperado. Buscou o jogo e se movimentou, mas faltou ritmo de jogos refletido em erros primários. Kaká é atualmente reserva do Real Madrid.

Mas quem ficou mais uma vez marcado no jogo foi Neymar. Prendendo muito a bola e errando muito, o atacante recebeu vaias quando perdeu bolas fáceis e manteve a sua sina na Inglaterra. Em Wembley, o atacante perdeu a final olímpica e teve uma de suas piores atuações na carreira, contra a Inglaterra, em fevereiro.

Com três modificações em relação ao jogo contra a Itália (Thiago Silva, Marcelo e Kaká), a Seleção mudou o jeito de jogar. Neymar esteve mais longe de Fred, em uma linha com Kaká e Oscar. Fernando não repetiu a boa atuação contra a Itália na marcação do meio-de-campo e os laterais mostraram fragilidade na marcação.

O jogo ainda serviu como ultimo teste, com a equipe completa, para Felipão convocar a Seleção para a Copa das Confederações. Antes, o Brasil enfrenta Bolívia (6 de abril) e Chile (24 de abril) apenas com jogadores que atuam no País. Os amistosos contra Inglaterra (2 de junho) e França (9 de junho), fecham a preparação.

No primeiro tempo, sufoco e desorganização

Os primeiros 15 minutos podem ser resumidos como um ataque da Rússia x defesa do Brasil. Foram seis chutes a gols dos russos e zero dos brasileiros. Em pé, Felipão observava atentamente e reprovava cada erro, principalmente nas bolas aéreas, com caretas.

A Seleção se livrou de levar um gol e aos poucos se acalmou. Com a bola no chão, os brasileiros passaram a ocupar mais o campo de ataque e, embora Kaká mostrasse um futebol preso, as chances começaram a surgir. Na melhor delas, aos 26min, Marcelo deixou Neymar livre para marcar. O atacante chutou por cima.

Se Kaká estava visivelmente fora de ritmo, Neymar voltou a apresentar o defeito que mais tem marcado sua curta carreira: exagerar na retenção da bola. Em uma das melhores jogadas brasileiras do primeiro tempo, Oscar abriu para o santista e Kaká passou livre em velocidade. Neymar preferiu cortar e tentar o chute, travado pela zaga.

Mas se o ataque criava com sofreguidão, a marcação brasileira apresentava problemas. Abaixo de sua estreia contra a Itália, Fernando correu mais atrás de russos do que os barrou. Daniel Alves mais uma vez deixou muito espaço em seu lado de marcação e faltou coesão na linha defensiva.

Antes do intervalo, duas cenas resumiram o primeiro tempo: Kaká e Felipão discutiram por duas vezes e evidenciaram um Brasil confuso em campo. Já no último lance, a Rússia avançou em velocidade pela direita, Kerzhakov se antecipou a Fernando e serviu Fayzulin na área. O russo chutou para defesa de Júlio César.

Segundo tempo: erro fatal e gol da Rússia

?O Brasil voltou melhor no segundo tempo, mas muito pouco para impor seu futebol. Na busca por alternativas, tentou criar jogadas com Kaká pelo lado esquerdo. Felipão tentou mudar o andamento da partida com a entrada de Hulk no lugar de Oscar, mas foram os russos quem marcaram.

Depois de um verdadeiro bombardeio, com três bolas com direção certa interceptadas pela zaga, Fayzulin aproveitou o rebote e chutou forte para estufar aos redes. O relógio marcava 28min e deixava o Brasil em situação delicada.

Felipão tirou Kaká, tentou Diego Costa, mas o resultado demorou a aparecer. Quando apareceu, foi aos 44min do segundo tempo, com Hulk acionando Marcelo na esquerda - o lateral cruzou rasteiro para a área, e Fred empurrou para as redes.

O Brasil volta para casa com dois empates em sua jornada na Europa. A um ano e dois meses da Copa de 2014, o horizonte é sombrio para o time de Felipão.

Ficha técnica

BRASIL 1 X 1 RÚSSIA

Gols

BRASIL: Fred, aos 44min do segundo tempo

RÚSSIA: Fayzulin, aos 27min do segundo tempo

Escalações

BRASIL: Júlio César, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Fernando, Hernanes, Kaká (Diego Costa) e Oscar (Hulk); Neymar e FredTreinador: Luiz Felipe Scolari

RÚSSIA: Gabulov; Anyukov (Kombarov), Berezutski, Ignashevich e Yeshchenko; Shirokov, Fayzulin, Glushakov e Bystrov (Shatov); Kokorin (Zhirkov, depois Grigoryev) e KerzhakovTreinador: Fabio Capello

Cartões amarelos

BRASIL: Hernanes

RÚSSIA: Yeshchenko

Árbitro

Howard Webb (ING)

Local

Stamford Bridge, em Londres (ING)