Ex "garoto prodígio", Owen anuncia aposentadoria aos 33 anos

Um dos grandes atacantes da história da Inglaterra, Michael Owen anunciou nesta terça-feira que vai se aposentar do futebol profissional ao término da temporada europeia. O jogador, 33 anos, atualmente defende o Stoke City, mas vem sendo pouco utilizado pelo técnico Tony Pulis, com apenas seis aparições saindo do banco de reservas no Campeonato Inglês.

"É com um imenso orgulho que estou anunciando minha intenção de me aposentar do futebol profissional ao fim desta temporada. Tendo progredido pelas categorias de base do Liverpool e estreado nos profissionais aos 17 anos, antes de defender Real Madrid, Newcastle United e Manchester United, além de representar meu país em 89 ocasiões, acho que agora é a hora certa de fechar as cortinas da minha carreira", escreveu o atleta em seu site oficial.

Owen surgiu no Liverpool em 1996, e dois anos depois apareceu para o mundo como o "garoto prodígio" da Inglaterra na Copa do Mundo de 1998, aos 18 anos. Ele marcou dois gols no torneio: um contra a Romênia, na primeira fase, e outro contra a Argentina, nas oitavas de final - este, um golaço, após se livrar de dois marcadores em velocidade e finalizar no ângulo do goleiro Roa.

Artilheiro e ídolo do Liverpool, sua melhor temporada aconteceu em 2000/01, quando venceu a Copa da Inglaterra, a Copa da Liga Inglesa e a Copa da Uefa, além de ter recebido a Bola de Ouro da revista France Football como melhor jogador da Europa do ano de 2001. A partir daí, porém, a carreira foi marcada pelas lesões.

Pela seleção inglesa, Owen acumulou 89 partidas e 40 gols. Participou de três Copas do Mundo: 1998, 2002 (marcando um gol na derrota por 2 a 1 para o Brasil, nas quartas de final) e 2006, quando se lesionou no último jogo da primeira fase. O último jogo pela Inglaterra aconteceu em 2008, nas Eliminatórias da Eurocopa.

As passagens por Real Madrid e Newcastle tiveram boa média de gols por jogo, mas Owen nunca repetiu o brilhantismo dos tempos de Liverpool. No Manchester United, já sem a velocidade que sempre foi sua principal arma, o atacante só completou elenco entre 2009 e 2012. E após um ano apagado no Stoke, um dos jogadores mais queridos pela torcida inglesa deixará o futebol.