"Imperador Russo" é arma de rival do São Paulo em decisão na Argentina  

O duelo desta quinta contra o Arsenal, é essencial para as pretensões do São Paulo na sequência da Copa Libertadores da América. No Estádio Julio Humberto Grondona, entretanto, a equipe brasileira terá pela frente mais do que o campeão argentino do ano passado. Terá nomes como Júlio Furch, apelidada de o "Imperador Russo", esperança de gols da equipe local no duelo.

Furch foi contratado por empréstimo junto ao San Lorenzo no início do ano. No Arsenal, chegou para substituir o dispensado Gustavo Canales, pego no doping durante o Campeonato Argentino. Ainda jovem, com 23 anos de idade, Julio chegou ao time de Sarandí com o apelido conquistado nos tempos em que defendeu o time do Olimpo: "Imperador Russo".

A alcunha "russo" é justificada pela procedência de sua família. Nascido em Winifreda, na província de La Pampa, na Argentina, o jogador é descendente de alemães. Mais especificamente de um grupo étnico germânico que vivia próximo ao Rio Volga, na Rússia, que colonizaram as regiões próximas ao mar Cáspio por volta dos anos 1760. No final do século XIX, deixaram o país, voltaram para a Alemanha ou migraram para Estados Unidos, Canadá e Brasil.

Sua aparência similar à de um alemão, aliás, aliada ao seu porte físico avantajado, que lhe rendeu o apelido de "Imperador". Teve boas participações no retorno do clube à primeira divisão local, marcando gols importantes contra grandes equipes do país como Independiente de Avellaneda e Boca Juniors, em vitórias memoráveis do time recém-promovido.

Na época, Julio Furch ainda tinha 19 anos e era tido como uma das promessas da liga argentina. Por curiosidade, havia passado por diversos clubes antes de, enfim, atingir o profissionalismo no Olimpo. Foi dispensado nos testes por Boca Juniors, Huracán, Racing e Lanús até ser aceito por Colorado e Deportivo Winifreda, da sua cidade. Torcedor do Boca, era fã de Hernán Crespo desde a infância.

Os bons tempos de Olimpo lhe renderam a primeira oportunidade da carreira em um grande clube argentino: o San Lorenzo de Almagro. Mas, contudo, Julio Furch teve poucas chances e amargou o banco de reservas. Deixou a equipe com mágoas. "Quero fazer pelo Arsenal o maior número de gols possíveis para esquecer o sabor amargo que me deixou o San Lorenzo", disse.

Nesta quinta-feira, o "Imperador Russo" terá mais uma chance para deixar o San Lorenzo no passado de uma vez por todas. Da última vez que recebeu um brasileiro em Sarandí, entretanto, Furch até deixou sua marca, mas viu o Atlético-MG fazer cinco gols na sequência e atropelar por 5 a 2. O Arsenal espera que, nesta noite, as coisas sejam diferentes, já que a vitória faz com que a equipe ultrapasse o próprio São Paulo na classificação do Grupo 3.