Zico inaugura estátua e pede relação eterna com torcida do Flamengo

"Obrigado, 60 vezes obrigado", disse um emocionado Arthur Antunes Coimbra, o Zico, maior ídolo da história do Flamengo, que foi homenageado, na manhã deste sábado, na sede da Gávea, pelos 60 anos de vida que completa no domingo. Cerca de 600 torcedores estiveram no clube e viram o "rei", como gritavam a todo momento, inaugurar uma estátua de bronze em sua homenagem.

"Espero que essa relação continue sempre eterna, com confiança e fidelidade. Peço que vocês continuem sempre amando e respeitando esse clube", discursou o "Galinho de Quintino", acompanhado da esposa, dos filhos, além de outros familiares e do presidente rubro-negro Eduardo Bandeira de Mello.

>> De álbum de figurinhas a despedida de rival, histórias de um Zico "sessentão"

"O Flamengo sempre foi a minha casa. Tudo que eu fiz por aqui foi com amor. Chega um momento que nem tem como agradecer, mas vou levar para se mpre no me coração esse movimento espontâneo de vocês", completou ainda grande homenageado.

Das mãos do presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo, Delair Dumbrosck, Zico recebeu ainda uma placa comemorativa pelo seu aniversário, que ele preferiu comemorar neste sábado, com os torcedores rubro-negros, para no dia em que se torna, de fato, um sexagenário, neste domingo, possa estar ao lado dos familiares e amigos mais próximos.

"Meu pai me ensinou a amar o Flamengo, posso dizer que foi um grande encontro que eu tive na minha vida. Me sinto orgulhoso e me faz colocar a cabeça no travesseiro para dormir tranquilo", discursou ainda para os fanáticos torcedores, que cantavam que ele foi melhor do que Pelé e xingavam a ex-presidente do clube, Patrícia Amorim, com quem Zico teve relação conturbada. Ele pediu para que os torcedores parassem com os atos hostis.