Por fim de jejum e "família Scolari", Palmeiras decide taça com Coritiba

Alviverdes, respeitados em seus Estados, com títulos recentes de Série B e há anos sem conquistar um grande título nacional. As semelhanças entre Palmeiras e Coritiba param por aí, ainda mais porque nesta quarta-feira os dois times fazem um dos jogos mais aguardados do futebol brasileiro em 2012: decidem a Copa do Brasil, no Estádio Couto Pereira, a partir das 21h50 (de Brasília). De um lado a "família Scolari" montada pelo consagrado treinador. Do outro o consolidado time paranaense, que vem com excelente trabalho administrativo nos últimos anos.

"Iniciamos em janeiro de 2010 com o grande objetivo de trazer a autoestima do torcedor coritibano que estava muito baixa, em função dos episódios ocorridos em dezembro de 2009. Evidentemente, este trabalho é de toda uma equipe que trouxe profissionalização para dentro do Coritiba. Sempre digo para as pessoas que o Coritiba era gerido por pessoas bem intencionadas e apaixonadas pelo clube, mas meio com um amadorismo que é o romântico do futebol", explicou o presidente Vilson Ribeiro de Andrade.

O mandatário iniciou no clube em janeiro de 2010, dias depois do massacre ocorrido no Couto Pereira quando o Coritiba caiu à Série B e uma invasão em massa ocorreu no estádio resultando em tragédia. Dois anos e meio depois, o clube alviverde renasceu, já é tricampeão paranaense - com um título invicto no meio do caminho -, vencedor do Campeonato Brasileiro da segunda divisão e até finalista da Copa do Brasil pela segunda vez. Por isso, a expectativa no Paraná é que a equipe quebre o jejum de 27 anos sem grandes conquistas nacionais ¿ a última foi o Brasileiro de 1985.

Do lado alviverde paulista, o Palmeiras se encontra há 13 anos sem erguer uma taça importante. A última foi a Copa Libertadores, e depois dela apenas o Rio-São Paulo e a Copa dos Campeões da CBF de 2000 e o Paulista de 2008. "A necessidade de um troféu nacional para o Palmeiras é grande, porque o clube não chega a uma final há um tempo. Um jogador é lembrado por títulos e, sem dúvida nenhuma, este grupo vai sair marcado. Nós vemos as fotos no vestiário, do César Maluco, do título de 2008, e imaginamos no futuro uma foto nossa ali", explicou o atacante Daniel Carvalho.

E o principal trunfo da equipe finalista da Copa do Brasil é justamente a base formada por Luiz Felipe Scolari. O treinador começou a unir o grupo após a saída do atacante Kleber, que supostamente tentou derrubá-lo e acabou perdendo a queda de braço com o comandante. Após o incidente, Felipão montou um elenco com poucos talentos individuais, mas vontade e união de sobra que levou a equipe à decisão sem sofrer uma única derrota. São oito vitórias e dois empates até então. É a tradicional "família Scolari", como ocorreu há 10 anos na Copa do Mundo com a Seleção.

Contudo, a equipe terá sérios desfalques para a decisão. O atacante Barcos e o meia Valdivia - dois dos maiores ídolos da torcida na atualidade - são ausências confirmadas, enquanto Maikon Leite também pode ficar de fora. "Não queríamos ter a falta deles nesse jogo. Mas aconteceu e não podemos lamentar. Não queríamos que isso acontecesse, mas um dos méritos do Felipão é que ele coloca dois jogadores de alto nível para cada função", minimizou Daniel Carvalho.

"Sem dúvidas que o Felipão sabe o que fazer nessa final mesmo com os desfalques, é experiente e já conquistou Copa do Brasil. São dois confrontos, e isso nos deixa confiantes para acreditar que podemos. Teve desatenção do árbitro no primeiro jogo, mas nosso retrospecto em casa é excepcional. Nossa união e amizade nos faz ver que estamos nos superando em campo e mostrando bom futebol nos últimos jogos", disse o treinador do Coritiba, Marcelo Oliveira.

Como foi derrotado no confronto de ida por 2 a 0, o time paranaense precisa triunfar por três gols de diferença para se sagrar campeão da Copa do Brasil pela primeira vez em sua história. Um novo 2 a 0 - desta vez para o clube de Curitiba - leva a decisão para os pênaltis. O duelo ocorre a partir das 21h50h (de Brasília), no Estádio Couto Pereira.

Para o confronto, o Coritiba não confirmou sua escalação - Oliveira preferiu manter o mistério. Por isso, a provável equipe será formada por: Vanderlei; Jonas, Pereira, Demerson e Lucas Mendes; Willian, Sergio Manoel, Gil, Everton Ribeiro e Rafinha; Everton Costa. Do lado do Palmeiras, o time contará com: Bruno; Artur, Maurício Ramos, Thiago Heleno e Juninho; Henrique, Marcos Assunção, João Vitor e Daniel Carvalho; Mazinho e Betinho