Goleiro do Corinthians repete falhas e deixa Pacaembu em prantos

A cobrança de falta de William Magrão passou pela barreira tendo como direção o canto direito do gol do Corinthians. Júlio César saltou em direção à bola e parecia que faria uma defesa tranquila, mas a deixou escapar de seus braços e repousar no fundo das redes. A partir daí, o time alvinegro precisou sair mais para o jogo e sofreu mais um gol, este de Roger, ainda no primeiro tempo da derrota para a Ponte por 3 a 2 pelas quartas de final do Campeonato Paulista.

O Corinthians foi eliminado do Estadual e Júlio César deixou o estádio do Pacaembu chorando pela atuação irregular. O arqueiro, que já colecionou falhas em partidas importantes como o empate com o Goiás na última rodada do Brasileiro de 2010 e a final do Paulista de 2011, chegou a ouvir críticas de sua torcida.

A falha no gol de William Magrão complicou a situação do goleiro alvinegro com os torcedores. Júlio César era acionado principalmente em jogadas de contra-ataque, a grande arma da Ponte, e os corintianos mostraram não confiar mais no arqueiro. Vaias e gritos irritados podiam ser ouvidos quando ele participava da partida.

Aos 30min de jogo Júlio César recebeu bola recuada, demorou a se definir e precisou chutar para a lateral ao ser pressionado. Na sequência, Renato Cajá teve chance de marcar, mas finalizou para fora. Isto fez com que gritos contrários retornassem, o que também ocorria nas saídas de jogo.

Ao fim do primeiro tempo, Júlio César evitou decretar se havia ou não falhado no gol de William Magrão. "O campo estava molhado, eu preciso ver primeiro", disse o goleiro enquanto deixava o gramado.

A apreensão corintiana em relação a Júlio César prosseguiu depois do intervalo. Aos 8min, Cicinho tentou chute de fora da área que o arqueiro defendeu sem muita segurança, o que fez a torcida chiar. Quando Willian correu para substituir Marquinhos, um torcedor gritou ironicamente para que Tite sacasse Júlio César no lugar.

O Corinthians reagiu, pressionou a Ponte Preta e conseguiu descontar com Willian. O momento da partida era totalmente favorável ao time da casa, mas, aos 44min, novo gol visitante contando com erro de Júlio César: o goleiro errou tiro de meta, acertou Leandro Castán e a bola ficou com Rodrigo Pimpão para arrancar e ampliar. Alex ainda fez um belo gol, mas era tarde.

O apito final foi a senha para Júlio César deixar o gramado em prantos, fato que se repetiu no vestiário e em sua saída do Pacaembu. "No vestiário só dei um a braço em cada um e falei de fora total. Ele falou comigo. É uma coisa da emoção do jogo. Ele está tão chateado quanto o torcedor. Talvez até mais. É o momento para ele ficar com a família para se fortalecer", disse o técnico Tite.

Mesmo com as falhas, Júlio César segue com o apoio da comissão técnica e da diretoria. O Corinthians só volta a campo no dia 2 de maio, em partida contra o Emelec pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores. É o prazo para que o goleiro se recupere. "A bola é muito rápida. Ele se regenera logo e retorna", avisou Tite.