Rebelo diz que atrasos em obras para Copa 2014 são insignificantes 

Em audiência na Comissão de Educação, Cultura e Esporte, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, minimizou os atrasos nas obras para a Copa do Mundo e garantiu que "não temos nenhum risco" de o Mundial não ser realizado no Brasil.

"Não há um atraso significativo. Os atrasos são muito, do ponto de vista cronológico, desprezíveis. É possível recuperar sem maiores transtornos em um ou outro estádio. Todos os que não estão adiantados estão dentro do cronograma", disse o ministro.

>> Senadora confirma presença de Blatter em audiência sobre Lei da Copa 

"Nós não temos nenhum risco em relação à Copa do Mundo por causa do atraso de obras. Nós seguramente teremos a Copa do Mundo", garantiu.

Harmonia com a Fifa

O ministro minimizou o clima ruim entre autoridades brasileiras e a Fifa desde a polêmica declaração do secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, que disse que os organizadores do mundial precisavam de "um chute no traseiro". No Senado, os parlamentares subiram o tom na semana passada, quando não aceitaram a presença de Valcke como representante do convidado, Joseph Blatter, presidente da Fifa.

"O governo procura manter relações de harmonia e de cooperação com todos os entes envolvidos na preparação da Copa do Mundo", limitou-se a dizer o ministro. Durante a audiência com senadores, o ministro acrescentou que "não há como organizar uma copa do mundo em um ambiente de colisão, de enfrentamento".

Aldo teceu ainda elogios à entidade máxima do futebol, que nas palavras do ministro, "é uma organização internacional que consegue ter mais filiados do que a própria ONU".