Após "pouco oxigênio e comida de hospital", Cielo compete nos EUA 

O campeão olímpico e mundial Cesar Cielo participa neste final de semana da primeira competição na temporada. O Grand Prix do Missouri, em Columbia, nos Estados Unidos, é o terceiro da série anual de GPs da USA Swimming, entidade responsável pela natação americana. A competição será um teste para a preparação de três semanas feita na altitude de San Luís Potosi, no México.

Pela ordem, as provas de Cielo serão: 100 m borboleta, nesta sexta, 50 m livre, no sábado, e 100 m livre, no domingo. O programa terá eliminatórias a partir das 13h e finais a partir das 21h30 (horários de Brasília).

"Esta preparação foi a mais pesada dos últimos quatro anos", afirmou Cesar Cielo, referindo-se ao tempo que passou no México. "Vamos ver como me sinto competindo, agora que descemos da altitude. Vamos testar o que fizemos no México e ver como fico nessa relação (altitude x nível do mar) na véspera de nadar uma competição", emendou.

"Mas o treino não visava a altitude, isso foi só um elemento porque escolhemos o México, local que já conhecíamos. Minha expectativa em termos de tempos para esta época será em comparação com os meus tempos passados e não com os tempos dos meus adversários", completou o nadador.

O objetivo de Cielo é a defesa do título de campeão olímpico nos 50 m livre e a conquista de medalha nos 100 m livre nos Jogos Olímpicos de Londres. Cielo foi ao México com mais seis nadadores e integrantes da comissão técnica do Projeto Rumo ao Ouro 2016 (P.R.O. 16). O grupo deixou San Luís Potosi nesta quinta.

"Foram semanas de muita dor, com pouco oxigênio e muita comida de hospital", definiu Cielo, com bom-humor, referindo-se aos treinos duros comandados pelo técnico Alberto Silva.

"Isso era necessário. Acho que estabelecemos uma rotina bacana, diferente da que temos no Brasil. Não daria para fazer isso em casa. Ficamos internados, acordando cedo todo dia, treinando, cuidando do descanso, pensando nisso 24 horas. Foi a melhor preparação desse tipo nos últimos anos, apesar de ter sido a mais pesada também", completou Cielo.

O técnico Alberto Silva acha que foram semanas proveitosas. "Reforçamos muito o trabalho de força e resistência. O Cesar vai voltar muito mais consistente para o treinamento no Brasil. Foi uma convivência de 24 horas, de treinos sem parar, desafio para todo mundo. Ficamos reclusos por quase um mês. Vamos fazer outras viagens, mas menores do que essa. O importante, eu acho, é que, quando voltarmos, vamos carregar tudo isso com uma situação menos hostil, mais felizes por estarmos em casa", avaliou o treinador.

Alberto ressaltou que esta será a primeira competição na temporada e, apesar da cobrança pessoal grande de Cielo, o GP do Missouri será apenas um teste para a atual fase de preparação.

"Ele treinou muito duro, está cansado e vai ser um desafio para a cabeça dele tentar levar o corpo, ainda mais em ano olímpico, em que aumenta a cobrança pessoal e a dos adversários também. Mas ele é muito competitivo e acho que vai nadar pelo primeiro lugar em todas as provas no GP do Missouri."

Silva disse que também será um teste para ver como será a descida após um treino em altitude. "Não visamos a altitude quando escolhemos o México, mas vamos ver como ele vai se sentir após uma saída da altitude."