Protestos no Egito depois de tragédia em estádio de futebol provocam duas mortes

Brasília - No Egito, os manifestantes voltaram às ruas hoje (3) para mais um dia de protestos contra a violência ocorrida durante o jogo de futebol, no qual 74 pessoas acabaram morrendo. Só nesta quinta-feira, pelo menos duas pessoas morreram quando a polícia egípcia entrou em confronto com manifestantes na cidade de Suez.

Os dois mortos são as primeiras vítimas em manifestações organizadas, depois de um briga ao final do jogo de futebol – entre as equipes de Al Ahly (do Cairo, a capital) do Zamalek (Porto Said, na costa) – que provocou 74 mortos. As duas vítimas de ontem foram atingidas por disparos.

Apenas ontem, aproximadamente 3 mil pessoas protestaram em frente do quartel principal da polícia na cidade de Suez. Policiais usaram gás lacrimogêneo e balas de borracha para dispersar os manifestantes. Os protestos ocorreram no Cairo e em várias cidades egípcias.

Na quarta-feira (1º), os torcedores do Al Ahly e do Zamalek se enfrentaram após o jogo de futebol. A confusão ocorreu depois de o árbitro ter apitado o fim do jogo cujo placar foi 3 x1 para o Al Ahly. As autoridades do Egito decretaram luto oficial. Além das 74 mortes, várias pessoas ficaram feridas.