Fla vence o Real Potosí por 2 a 0 e avança na Libertadores da América

O Flamengo cumpriu o seu papel e venceu o Real Potosí por 2 a 0, avançando para a fase de grupos da Copa Libertadores. Léo Moura, em grande atuação, e Ronaldinho marcaram os gols da classificação. Quem também merece aplausos é a torcida, que compareceu em grande número ao Engenhão e apoiou o time.

O próximo compromisso do Flamengo na Copa Libertadores será diante do Lanús, da Argentina, no dia 15 de fevereiro, em Buenos Aires. Os outros adversários da etapa de grupos são Emelec e Olímpia.

Um primeiro tempo digno de Flamengo levou os torcedores que foram ao Engenhão ao delírio. Mostrando muita vontade de seguir adiante na Copa Libertadores, os jogadores davam em campo o que a Nação mais gosta: raça. Desde o primeiro minuto o time rubro-negro partiu para cima do Real Potosí e dominou o jogo.

Léo Moura foi o grande destaque da primeira etapa. Era com ele que as jogadas mais perigosas aconteciam. Logo aos 10 minutos, depois de passe de Ronaldinho, Léo Moura cruzou para Deivid, que quase completou para o gol. No lance seguinte, mais uma do camisa 2. Cruzamento para R10, que perdeu o tempo da cabeçada, mas, mesmo assim, quase deixou o seu.

O domínio permaneceu, mas a retranca boliviana conseguia afastar o perigo. Somente aos 31 minutos o Flamengo voltou a assustar, com uma bomba de Renato. Em seguida, Bottinelli tabelou com o camisa 11 e chutou muito próximo ao gol do goleiro do Real Potosí. Aos 34, mais uma do argentino. Bottinelli recebeu bola de Luiz Antonio, driblou o zagueiro e bateu forte, mas a bola pegou no pé da trave.

Era muito domínio para pouco gol, mas ele veio. Ronaldinho cobrou falta pela direita e Léo Moura, de cabeça, sem despentear o penteado moicano, levantou a Nação: 1 a 0 Flamengo. "O time teve tranquilidade, manteve a posse de bola e tocou bem. Graças a Deus em um lance de bola parada a gente pôde marcar e sair na frente", comemorou.

Veio o segundo tempo e o domínio do Flamengo continuou. Apesar do Real Potosí sair mais para o jogo, o time boliviano não conseguia chegar com perigo ao gol de Felipe. Tranquila, a equipe rubro-negra mantinha a posse de bola e saía na boa. Aos 18 minutos, Renato chutou forte e quase deixou o seu.

O ritmo do jogo caiu um pouco e aos 29 minutos Luxemburgo mexeu no time. Sairam Renato e Bottinelli para a entrada de Muralha e Camacho. Quase que em resposta, o Potosí teve sua grande chance. Num cruzamento, Brittes cabeceou com perigo, mas para fora.

Em seguida, Centurión fez falta desleal em Léo Moura e foi expulso. Com um jogador a mais, o Flamengo passou a dominar ainda mais o jogo, mas só chegou ao gol boliviano nos minutos finais. Negueba, que havia entrado no lugar de Deivid, arrancou, driblou o goleiro, mas não conseguiu cruzar para Ronaldinho. No lance seguinte, o jovem atacante teve melhor sorte e a bola chegou no camisa 10. Ele driblou o zagueiro e só empurrou a bola para dentro do gol: 2 a 0 e fim de papo.