Dirigente do Palmeiras cita Sócrates e Zico para justificar contratação

A desconfiança sobre o zagueiro paraguaio Adalberto Román, que foi apontado como um dos culpados pelo inédito rebaixamento do River Plate para a segunda divisão argentina em 2011, fez com que o presidente palmeirense Arnaldo Tirone citasse dois dos maiores jogadores da história do futebol brasileiro para defender o atleta. 

Lembrando Zico e Sócrates em entrevista à rádio Jovem Pan, expoentes da Seleção na Copa de 1986, o dirigente deu total apoio ao jogador, que chegará ao Palestra Itália sob indicações do ex-lateral Arce e do meia Juan Román Riquelme - que o cartola alviverde, aliás, tentou "aposentar". Román ficou marcado na Argentina por cometer o pênalti que originou o primeiro gol da vitória por 2 a 0 do Belgrano, na ida da repescagem do Argentino (na volta, o River empatou em casa por 1 a 1).

Tirone, assim, resgatou uma eliminação da Seleção em Copas do Mundo para dar apoio ao novo reforço do Palmeiras. "Tivemos jogadores em 1986, melhores que o Román, e que chutaram um pênalti para fora e o Brasil foi eliminado", disse Tirone. Nas quartas de final daquele Mundial, contra a França, Zico teve uma cobrança defendida pelo goleiro Bratts no tempo normal e Sócrates, na decisão por pênalti. 

Júlio César também acertou a trave. "O jogador ter falhado em um lance não quer dizer que não possa jogar no Palmeiras. Ele foi indicado pelo Arce e pelo Riquelme, e muitas pessoas me informaram que ele é muito bom e que deve ser titular na seleção paraguaia", argumentou. Tirone ainda cometeu um deslize ao sugerir que Riquelme estivesse aposentado."Nem sei se está jogando mais", comentou. O meio-campista foi campeão do Torneio Apertura no final de 2011 pelo Boca.