Platini revela voto por Catar e defende Copa de 2022 no inverno

Atual presidente da Uefa e possível substituto de Joseph Blatter no comando da Fifa a partir de 2015, Michel Platini não tem dúvidas quanto questionado sobre a Copa do Mundo de 2022: segundo o francês, ela tem de ser disputada no inverno, já que durante o mês de junho, normalmente reservado ao torneio, faz muito calor no país-sede da competição, o Catar.

Em entrevista à emissora de televisão árabe Al Jazira nesta sexta-feira, data do sorteio dos grupos da Eurocopa de 2012, Platini soltou a pergunta "como as pessoas vão viajar ao Catar em junho com 50º C?" para dar a sua opinião com relação ao assunto. Nesse caso, "ninguém iria desfrutar", argumentou o dirigente.

Devido a essa preocupação, Fifa já sondou a possibilidade de antecipar o Mundial de 2022 para os meses de janeiro ou fevereiro, mas nenhum acordo ainda foi anunciado. Para que isso acontecesse, seria necessária uma modificação drástica no calendário do futebol europeu, cujos clubes em geral não disputam competições somente nas duas últimas semanas de dezembro, na primeira de janeiro e entre junho e julho.

Platini, 56 anos, foi um dos maiores jogadores da história da França, tendo ajudado o país a conquistar a Eurocopa de 1984. Desde 2007, ele lidera a Uefa e pode suceder a Blatter na presidência da Fifa.

Ainda sobre o Catar, o ex-meia admitiu que votou pelo país na eleição de 2 de dezembro de 2010, na qual os outros candidatos eram Estados Unidos, Austrália, Coreia do Sul e Japão. No mesmo dia, a Rússia também saiu como a vencedora para abrigar a Copa de 2018. Platini explicou sua escolha dizendo que "é bom o Mundial ir a um lugar do planeta onde nunca esteve" antes.