Perto de aposentadoria, Marcos treina e pode jogar clássico

O clássico entre Corinthians e Palmeiras deste domingo, pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro, pode dar ao time alvinegro o título do torneio. Do lado alviverde, porém, a partida pode marcar a despedida do principal nome do elenco: o goleiro Marcos. Aos 37 anos, o camisa 12 enfrenta as limitações na condição física, e pode encerrar a carreira no fim de semana.

Marcos chegou a treinar com os demais jogadores da posição nesta sexta, na Academia de Futebol, sem mostrar dores. O técnico Luiz Felipe Scolari, porém, não garante a presença do ídolo palmeirense na relação de atletas para o jogo diante do Corinthians. O zagueiro Thiago Heleno, com dores no pé, também é dúvida.

"A escalação definitiva, vamos esperar o treino de amanhã (sábado). Tivemos um problema com o Márcio (Araújo), então nunca se sabe o que vai acontecer no outro dia. O Marcos, vamos decidir amanhã, mas tem boas possibilidades, e o Thiago, em principio, vai ser relacionado, dependendo do treinamento de amanhã", explicou Felipão.

Apesar do discurso prometendo "boas possibilidades", o treinador desconversou sobre as chances de relacionar o goleiro. "Eu disse que tem possibilidade de estar no Estádio do Pacaembu, não disse onde", brincou. "Ele vai estar lá. Garanto para vocês que ele vai estar lá. Onde, eu não sei", completou.

Com a possibilidade de não relacionar o veterano atleta, Felipão destacou a importância do goleiro junto ao elenco - porque "participa no vestiário ou até na palestra final". Porém, o comandante não recomendou que Marcos tente renovar pela última vez o contrato ao fim do ano, apesar dos pedidos dos torcedores ou dos companheiros.

"Não nos moldes atuais. Infelizmente, ele não tem as condições para jogar pelo Palmeiras uma temporada normal, a não ser que exista a situação de analisarmos e eventualmente jogar. Do jeito que ele vem treinando, com alguma dor, com dificuldades para escalar, não posso fazer com que isso aconteça. Ele sabe disso, já tomou a decisão dele", afirmou o treinador, explicando os "moldes atuais" de Marcos.

"Só treinar, eu não quero. Quero jogar, isso que eu quero. Se eu pudesse fazer um contrato só para jogar no fim de semana, eu assinava embaixo. Mas tem que suportar dores que nem sempre são suportáveis, essa é a dificuldade", completou.

Com a possibilidade de promover jovens goleiros do Palmeiras para o time principal, o treinador encerrou o assunto fazendo mistério a respeito da presença de Marcos na relação de jogadores que divulgará neste sábado. "Não sei. Pensa. Deixo para ti (jornalista). Vocês é que têm que pensar".