Fifa, sobre proposta: "Brasil tem tantas armas que vai faltar ingresso"

Participando de sessão da Comissão Especial da Câmara dos Deputados que analisa o projeto da Lei Geral da Copa, o secretário geral da Fifa, Jérôme Valcke, afirmou seu apoio ao projeto de trocar armas de fogo por ingressos para jogos do Mundial, mas crê que a grande quantidade de armamentos existente no País é um limite para essa iniciativa.

"Não vou me comprometer a dizer que toda arma será entregue, porque eu acho que tem tanta arma no Brasil que a gente não vai ter a quantidade de ingressos para responder, infelizmente", declarou o dirigente.

A proposta de incluir a troca de armas de fogo por ingressos para a Copa é do deputado Vicente Cândido (PT), que na segunda sugeriu que a Fifa se envolva mais com as questões sociais do Brasil durante a preparação para o evento.

A proposta foi bem recebida por Valke, que durante a reunião, realizada em Brasília, declarou que a Fifa irá "incluir essa campanha (de desarmamento) em um conjunto de campanhas sociais da Copa do Mundo. Como eu disse para vocês, e como nós falamos ontem, a Copa do Mundo tem 32 dias, e nós podemos pensar em organizar atividades especiais durante o Mundial, em particular quando nós temos dias de pausa".