Por top 10 olímpico, brasileiras do nado sincronizado treinam na Rússia

Bronze nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, as atletas do nado sincronizado Lara Teixeira e Nayara Figueira têm um sonho: alcançar o top 10 olímpico em Londres, em 2012. Para isso, programaram uma viagem à Rússia, terra natal da treinadora Tatiana Pokrovskaia, para intensificar os treinamentos e melhorar o desempenho alguns meses antes de competir na capital inglesa.

"A Tatiana há alguns anos faz uma clínica de duas semanas no Brasil. Esse ano ela fez de novo, chegou para a gente e disse: 'por que a gente não inverte? Desta vez vocês vão para Rússia treinar'. A gente ficou muito animada e lisonjeada, mas estamos bem apreensivas com o que vamos pegar lá. A escola russa não é fácil, é de uma linha mais dura", disse Lara, em entrevista na manhã desta segunda-feira.

As russas são hegemônicas no nado sincronizado, dominando as competições em um nível muito acima ao encontrado nas atletas brasileiras. "Serão duas semanas em que vamos tentar pegar tudo o que pudermos. Vamos olhar os movimentos embaixo d'água, ver como ela aplica isso. Vamos tentar dar um salto de qualidade nesses oito meses até Londres", apontou Lara. O objetivo é fazer história com um top 10 olímpico.

Assim, o planejamento é viajar ao país europeu em fevereiro para depois competir o Sul-Americano em março, o pré-olímpico em abril, uma competição européia ainda a ser definida em maio e, finalmente, a Olimpíada em julho. "No último Mundial, ficamos em 12° e entramos na final. A nossa medalha de ouro vai ser chegar à final olímpica", complementou Lara, ressaltando a concorrência acirrada.

Rivalidade com as americanas

No Pan-Americano, tanto na disputa por equipes (rotina técnica e rotina livre) quanto no dueto, as brasileiras não conseguiram competir com as canadenses, medalhistas de ouro. A grande expectativa é por ultrapassar as americanas, que ficaram com a prata. A rivalidade se mostra acirrada, o que motiva Lara e Nayara a buscar melhores resultados, elevando o nível do nado sincronizado brasileiro.

"O Canadá está muito na frente, investiu muito de 2008 para cá e quer a medalha olímpica. Não tem nem o que discutir. A gente está meio assim com as americanas, então vamos ver. Em Mundiais competimos com a Grécia, França e Inglaterra, que vai ser mais forte por competir em casa em 2012, mas os Estados Unidos são nossos rivais diretos. Com certeza vão nos ouvir falar muito deles", afirmou Nayara.