Daiane dos Santos se aposenta em 2012 para pensar em filhos

Daiane dos Santos, 28 anos, já sabe o que fará depois da Olimpíada de 2012, em Londres: se aposentar. Fora dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, resta poucas competições para a atleta conquistar suas últimas medalhas e títulos antes de parar. 

Com 17 anos de ginástica no currículo e uma medalha de ouro em Mundiais (2003, em Anaheim), a gaúcha tem planos de deixar o esporte em menos de um ano. Mesmo assim, ela mesma admite que, pela falta de currículo em outras áreas, dificilmente conseguirá ficar longe da ginástica.

Em entrevista exclusiva ao Terra, Daiane - que é formada em educação física - conta que não descarta a possibilidade de ser treinadora. De certo, apenas os planos de tocar projetos sociais e centros de treinamento, aos quais já tem se associado. 

"Acho que as nossas portas estão sempre abertas para tudo. A gente só fez isso na nossa vida, 17 anos de ginástica. Não tenho experiência de fazer outra coisa - quer dizer, ginástica eu tenho mais ou menos, um pouco, porque eu fiz umas matérias (na faculdade) já. Mas de experiência, só tenho experiência de ginasta, não sei o que eu posso fazer. Mas tenho alguns projetos de esporte que eu estou envolvida já, para novos centros, base de treinamento, essas coisas pra esse lado. Mas eu não sei. Vamos ver o que vou fazer depois. Mas alguns projetos já estão engatilhados", explica ela, indo além sobre seu futuro.

"Eu sou formada em educação física, ia ser professora de educação física. Agora não sei, não sei se vou conseguir ser treinadora. Eu vejo os coitados dos meus treinadores, tem que ter muita paciência. Vocês acham que é fácil? Se para a gente é difícil, para eles é muito difícil ter que aguentar. Ainda mais o feminino. Nossa, TPM, cada menina é de um jeito, tem gente que é mais nervosa, é mais complicada para treinar, outra mais fácil... Então é difícil", confidenciou.

Além de continuar ligada ao esporte, Daiane dos Santos tem ainda planos para sua vida pessoal. Sem namorado, ela pensa em se casar e ter dois filhos - "só dois". Mas nada de casamento na igreja: apenas uma festa bem grande, para que ela possa chamar muitos convidados. Eu não estou mais namorando, então eu vou ter que arrumar um namorado e casar - alguém que me ature pelo menos", diz ela.

"Tenho sonho de ter a festa. Casar na igreja, não. Mas a festa do casamento é o que eu mais quero. Fazer um festão, porque tem muito amigo, muita gente para convidar. Quero, mas eu quero um bom marido, que é o mais difícil de achar: um bom marido, um cara companheiro, que venha para ajudar. Quero. É sempre assim: mulher fala'¿não quero casar, não preciso casa'. Mentira... Quando ela vê as amigas tudo casando, ela entra em desespero. Começa a ficar mais velha e a coisa começa a ficar desesperadora. Mas eu quero casar, quero ter dois filhos. Só dois. Mais de dois, não. Não dá para sustentar, fica muito difícil. Criança custa muito caro", concluiu.