Manchester City encerra 2009 com prejuízo de US$ 148 milhões

Agência ANSA

LONDRES - O Manchester City encerrou o ano de 2009 com um déficit de cerca de US$ 148 milhões (R$ 257 milhões), depois de contratar o atacante brasileiro Robinho e o goleiro irlandês Shay Given.

Os dados correspondem à temporada 2008-2009, quando o clube inglês ainda se reforçou com as chegadas de Craig Bellamy, Nigel de Jong e Wayne Bridge.

Nesse balanço, não foram computados os valores desembolsados na última janela de transferências, em julho, para a aquisição de Carlos Tevez, Roque Santa Cruz, Joleon Lescott, Gareth Barry, Emmanuel Adebayor e Kolo Touré, que totalizam mais de US$ 200 milhões (R$ 347 milhões).

De acordo com o jornal The Independent, os números apresentados pelo Manchester City representam um recorde em matéria de passivos financeiros no Campeonato Inglês, sendo superado apenas pelo Chelsea na temporada 2004-2005, quando o déficit chegou a US$ 225 milhões (R$ 391 milhões).

Além disso, o Manchester City ainda deverá pagar uma indenização ao técnico Mark Hughes, substituído recentemente pelo italiano Roberto Mancini.

No entanto, os números negativos não preocupam a equipe, pois o xeque Mansour bin Zayed al Nahyan já anunciou que não pretende interromper os seus investimentos no clube.