Botafogo vence Inter e ajuda o Flamengo

Da redação, Jornal do Brasil

RIO - Contrariando as expectativas e as posições na tabela, o Botafogo fez valer seu tabu contra o Internacional e fez 1 a 0 sobre os gaúchos, no Beira-Rio, em Porto Alegre. Em 18 jogos contra os gaúchos na casa do adversário, a equipe venceu sete, empatou seis e perdeu apenas cinco. A vitória que saiu em uma bomba de Juninho faz o time chegar a 38 pontos na tabela, mantendo três pontos diferença para o primeiro time na zona de rebaixamento. De quebra, a vitória ajuda o co-irmão Flamengo, que com 54 pontos mantém a diferença para o Inter, com 52. Foi apenas a terceira derrota do time de Mário Sérgio como mandante colorado.

Nem o mais otimista torcedor poderia imaginar que logo aos 2 minutos o Glorioso saísse na frente. O Inter cometeu o pecado de fazer uma falta frontal ao gol de Lauro. Em sua especialidade, o zagueiro Juninho cobrou no ângulo: 1 a 0.

A partir daí, o jogo passou a ser de ataque contra defesa. Pressionado pela vitória do Flamengo no sábado, o Inter se lançou ao ataque. A estratégia estava desenhada. Cruzamentos para o grandalhão Alan Kardec, pela primeira vez titular.

A tática quase deu certo aos 20 minutos. Kleber cobrou escanteio, Alan subiu livre e testou forte. Jefferson conseguiu espalmar e evitar o empate. No lance seguinte, Jobson foi lançado, o zagueiro Daniel escorregou e o atacante partiu sozinho rumo ao gol. Na hora de entrar na área se atrapalhou e permitiu a recuperação do zagueiro.

Aos 28 minutos, sob intenso calor, o árbitro Elmo Resende paralisou a partida para os jogadores se refrescarem. O Inter seguiu pressionando e os cariocas conseguiam rechaçar os cruzamentos, mas não encaixam os contra-ataques. Nos acréscimos, D'Alessandro cruzou Léo Silva não conseguiu afastar e Alecsandro bateu de virada. Jefferson se esticou e buscou no canto.

Na segunda etapa, Mario Sérgio colocou Andrezinho e Bolaños nos lugares de D'Alessandro e Daniel. Com ótima atuação do trio defensivo, parecia questão de tempo para o segundo gol. Mas Jobson se encarregava de dar fim a todos os contra-ataques da equipe. Tudo ia bem até André Lima puxar Índio e ser expulso, aos 7 minutos. Victor Simões entrou na vaga de Jobson, teve chance de marcar mas chutou em cima de Lauro. A partir daí só deu Inter e Jefferson.

Aos 29, Taison, que acabara de entrar, chutou no canto, o goleiro saltou e espalmou. Três minutos depois, Alecsandro dominou na área driblou Wellington e chutou a bola explodiu no goleiro alvinegro, bem colocado. Aos 39, Kleber cruzou para Bolaños, o camisa 1 alvinegro tirou a bola da cabeça do adversário com um tapinha providencial. Aos 47, o último dos mais de 30 cruzamentos cruzamento. O destino? as mãos do impecável Jefferson.

O time se comportou muito bem, mesmo com um a menos. Foi a vitória da superação vibrou o capitão Juninho.