Flamengo sem defesa titular contra o alvinegro

Jornal do Brasil

RIO - A partir de terça-feira à tarde, na Gávea, o técnico Andrade já começa a pensar no time que vai enfrentar o Botafogo, no domingo, às 18h30, no Engenhão. Mais uma vez, o maior problema do treinador é compor a dupla de zaga. Ele está sem seus três principais zagueiros do elenco e, provavelmente, terá de improvisar na hora de armar o time. Como foi na vitória de 2 a 0 sobre o Palmeiras, com Aírton fazendo dupla de zaga com Ronaldo Angelim. O volante entrou no lugar de Álvaro, que torceu o joelho na vitória sobre o São Paulo e ainda não tem data certa para voltar.

Além de Álvaro, David ainda está vetado por causa da fratura que sofreu no rosto e Ronaldo Angelim está suspenso por ter recebido o terceiro cartão amarelo contra o Palmeiras.

Os muitos desfalques abrem espaço para os mais jovens. Fabrício, que estava com a Seleção Brasileira sub-20, pode ser aproveitado. Assim como Angelim, ele também joga pelo lado esquerdo. Além de Fabrício, Andrade só tem Welinton e Marlon em condições de atuar contra o Botafogo.

Presidente faz balanço

Segunda-feira, o presidente do Flamengo, Marcio Braga, marcou uma coletiva de imprensa onde apresentou alguns projetos para o futuro do clube. Segundo o presidente, esses projetos só não saíram antes porque a situação financeira do Fla estava bastante ruim.

Marcio Braga apresentou o projeto do CFZ; o Fla Marketing, que tem como objetivo transformar o marketing do clube em uma agência; o Fla Nova Geração, que é uma iniciativa de responsabilidade social; o Fla Olímpico e o Fla Master, que é uma ideia de pegar uma parte da arrecadação do clube para destinar a ex-jogadores. Quem cuidaria deste projeto seria o ex-jogador Adílio.

Os projetos, porém, só poderão ser tocados se passarem por aprovação do Conselho Deliberativo do clube. Além disso, Marcio Braga apresentou um relatório da Casual Auditorias em relação à divida do Flamengo. Segundo o relatório, a divida em 2003 era de R$ 336 milhões e hoje em dia é superior a R$ 333 milhões.

Pagamos R$ 75 milhões, entre 2004 e 2008, de dívidas de gestões anteriores. Nosso patrimônio líquido era negativo em R$ 140 milhões. Hoje é negativo em R$ 48 milhões. Foram R$ 116,513 milhões de dívidas não contabilizadas até 2003. São os cadáveres que estavam dentro do armário explicou Márcio Braga. Agora nossa dívida está auditada e corrigida: R$ 333,327 milhões. É isso que vamos entregar para o futuro presidente disse Marcio Braga.

A coletiva também foi marcada por uma discussão entre Márcio Braga e o presidente do Conselho Fiscal do clube, Leonardo Ribeiro conhecido como Capitão Léo.