Fifa revela diretrizes para a aplicação do código antidoping

Agência AFP

PARIS, FRANÇA - A Fifa revelou nesta terça-feira suas diretrizes para a aplicação do código antidoping 2009 e, sobretudo, as polêmicas medidas sobre a localização dos jogadores para os exames-surpresa.

Segundo a nova política da Agência Mundial Antidoping (AMA), que entrou em vigor em 1º de janeiro de 2009, cada federação nacional deve escolher um grupo de jogadores de alto nível, fornecendo uma hora do dia e o lugar exato onde se encontrarão para que possam fazer o exame antidoping. A Fifa, que pediu para que os jogadores fossem liberados durante suas férias, não escolheu um grupo só, mas três em função do risco de doping.

Apenas os jogadores contundidos ou com longas suspensões deverão acatar plenamente as exigências de localização durante sua ausência dos estádios.

Os participantes da Liga dos Campeões deverão proporcionar uma agenda coletiva sobre os dias de atividade da equipe, assim como as seleções classificadas para a Copa das Confederações deverão fazê-lo nos dois meses anteriores ao torneio.

A Uefa e a Fifa, em fins de março passado, protestaram contra as exigências da AMA, cujo diretor-geral, David Howman, se reuniu com os médicos das duas entidades no início deste mês em Zurique.

A AMA reconheceu o novo regulamento da Fifa, aceitando provar seu sistema ao longo deste ano, para ser avaliado em 2010.