Jornal do Brasil

Esportes - Copa do Mundo Feminina 2019

Capitã dos EUA diz ser falta de respeito Fifa permitir três finais no mesmo dia

FolhaPress

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRES) - Capitã da seleção dos Estados Unidos, Megan Rapinoe criticou o calendário da Fifa por permitir o agendamento de três finais em um mesmo dia. Neste domingo (7), além da equipe norte-americana decidir o título da Copa do Mundo feminina, contra a Holanda, o time masculino dos EUA jogará contra o México, pela Copa Ouro, e o Brasil enfrentará o Peru, em decisão da Copa América.

''Não sei como permitiram isso, ouvi que simplesmente não pensaram, o que é inacreditável. É por isso, acho, que não recebemos o mesmo nível de respeito em geral'', disse a jogadora do Seattle Reign, em coletiva de imprensa neste sábado (6). ''Não sentimos o mesmo respeito que os homens por parte da Fifa'', continuou a atleta, que completou: ''É uma Copa do Mundo!''.

Contrariada, Rapinoe reconheceu este Mundial como histórico, mas ressaltou a necessidade de maior investimento na modalidade: ''É um tremendo negócio para se investir e apostar no futuro. O futebol feminino prova ano após ano, Copa após Copa, que merece investimento. A qualidade está ali. Mas precisamos do negócio em si também. Não sei por que existe uma resistência em se investir em mulheres'', analisou.

Pensando nas próximas gerações, a atacante apontou que as jogadoras de futebol merecem atenção e apelou à Fifa, às federações e aos patrocinadores: ''Destinem mais dinheiro ao futebol feminino, pensando no futuro''.

Afastada do gramado na semifinal contra a Inglaterra, por conta de uma lesão muscular leve na coxa, Rapinoe disse estar pronta para atuar na final contra a seleção holandesa, que terá apito inicial às 12h00 (de Brasília), em Lyon. Será reforço importante, já que soma cinco gols na competição.