Jornal do Brasil

Esportes - Copa América 2019

Trunfo peruano, goleiro Gallese sofreu com time brasileiro na Libertadores deste ano

FolhaPress

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Pedro Gallese foi um dos destaques do Peru na vitória por 3 a 0 sobre o Chile, em jogo pelas semifinais da Copa América 2019, na quarta (3). Bastante exigido na Arena Grêmio, o camisa 1 da seleção peruana, não decepcionou: além de boas defesas na partida, o goleiro do Alianza Lima (PER) coroou sua atuação defendendo o pênalti cobrado por Eduardo Vargas nos acréscimos do segundo tempo.

O duelo em questão não apenas colocou o Peru na final de uma Copa América, o que não acontecia desde 1975. Na seleção peruana, consolidou Gallese como integrante de uma geração muito importante (e vitoriosa) para o futebol do país. Neste ano, no entanto, antes de brilhar no torneio no Brasil o herói já havia sofrido em confrontos contra uma equipe brasileira.

Nascido em Lima no dia 23 de fevereiro de 1990, Pedro Gallese foi revelado pela Universidad San Martín (PER) em 2007. Em 2009, em busca de experiência, foi emprestado ao Atlético Minero (PER), onde fez suas primeiras partidas como profissional. Depois, voltou ao San Martín, fazendo seu primeiro jogo como titular pelo clube apenas em 2012.

A partir daí, porém, a ascensão foi rápida. Em 2014, foi vice-campeão do Torneo del Inca e ganhou as primeiras chances na seleção peruana. No ano seguinte, transferiu-se para o Juan Aurich (PER) e foi às semifinais da Copa América como titular do Peru, terminando a competição com o terceiro lugar.

Veio então a chance de se transferir para o exterior, assinando com o Veracruz (MEX) em 2016. Pela seleção peruana, foi à Copa América Centenário e atuou na vitória peruana por 1 a 0 sobre o Brasil, resultado que eliminou a seleção brasileira ainda na fase de grupos do torneio. Daquela equipe comandada por Dunga, nomes como Alisson, Dani Alves, Miranda, Filipe Luís, Willian e Philippe Coutinho estão na Copa América 2019. O Peru caiu nas quartas.

No ano seguinte, em novembro de 2017, veio mais um resultado expressivo: o Peru levou a melhor sobre a Nova Zelândia na repescagem intercontinental e garantiu vaga na Copa, o que não acontecia desde a participação no Mundial de 1982.

Mesmo sem estar nas condições físicas ideais, o jogador -que se recuperava de uma fratura de dedo- foi titular nos dois jogos decisivos: 0 a 0 em Wellington e 2 a 0 em Lima. Na Copa, porém, o Peru foi eliminado na fase de grupos, com duas derrotas (1 a 0 para a Dinamarca e 1 a 0 para a França) e uma vitória (2 a 0 sobre a Austrália).

Em 2019, o Veracruz emprestou Gallese ao Alianza Lima. Pelo clube peruano, o goleiro já havia atuado em Porto Alegre neste ano -era ele o goleiro do Alianza na derrota por 2 a 0 para o Internacional em 13 de março, pela segunda rodada do Grupo A da Copa Libertadores.

Em 24 de março, na quinta rodada, o Inter visitou a equipe da Gallese e venceu por 1 a 0, em jogo no qual o goleiro apareceu fazendo boas defesas e até tentando marcar um gol no fim da partida. O Alianza acabou na lanterna da chave e não foi nem para a Copa Sul-Americana.

Emprestado até o fim do ano, Gallese se manteve mais perto do técnico Ricardo Gareca, que o convocou para a Copa América e não se arrependeu: apesar do sufoco na primeira fase, quando o Peru só se garantiu nas quartas de final como o melhor terceiro colocado, o goleiro apareceu com boas atuações, defendendo pênaltis de Gabriel Jesus (Brasil), Luis Suárez (Uruguai) e Eduardo Vargas (Chile) até aqui. Na final, é uma das armas peruanas para dar o troco após a derrota por 5 a 0 na terceira rodada do Grupo A.